"O país que tiver maior força vai comandar e neste caso é a África do Sul. Botswana vai coadjuvar e nós, como Moçambique, faremos parte no mecanismo de coordenação desta força, ocupando a posição de Estado-Maior", disse Joaquim Rivas Mangrasse.

Aquele responsável falava à comunicação social momentos após o encerramento do 34.º curso de Fuzileiros Navais, em Maputo.

Segundo Joaquim Rivas Mangrasse, pelo menos nove oficiais moçambicanos vão ser integrados em cada força que compõe o conjunto da SADC destacado para Cabo Delgado, mas as operações táticas no terreno são da responsabilidade de cada país.

"Na parte tática, cada país comanda a sua força, porque é a execução no terreno", frisou.

O mandato de uma "força conjunta em estado de alerta" da SADC para apoiar Moçambique no combate contra o terrorismo em Cabo Delgado foi aprovado em 23 de junho, numa cimeira extraordinária da organização em Maputo que debateu a violência armada naquela província do Norte do país.

Segundo o Ministério da Defesa, além de África do Sul e Botsuana, países como Tanzânia e Angola também já confirmaram que vão enviar as suas forças, mas Moçambique também espera por outros soldados de países-membros daquela organização regional.

Não é publicamente conhecido o número de militares que a organização vai enviar a Moçambique, mas peritos da SADC que estiveram em Cabo Delgado já tinham avançado em abril que a missão deve ser composta por cerca de três mil soldados.

Em Cabo Delgado, já se encontra um contingente de mil militares e polícias do Ruanda para a luta contra os grupos armados, no quadro de um acordo bilateral entre o Governo moçambicano e as autoridades de Kigali.

Grupos armados aterrorizam a província de Cabo Delgado desde 2017, sendo alguns ataques reclamados pelo grupo Estado Islâmico.

Há mais de 2.800 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED, e 732.000 deslocados, de acordo com as Nações Unidas.

 

EYAC// RBF

Lusa/Fim

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.