A revisão do regulamento, proposta pela Comissão Europeia em dezembro do ano passado, e que foi assumida como uma das prioridades pela presidência portuguesa do Conselho da UE no setor da Energia, tem como objetivo facilitar investimentos em infraestruturas energéticas transfronteiriças e ajustar as orientações sobre as mesmas para alinhá-las com as novas metas de clima e energia para 2030 e 2050.

Esta reunião, que será presidida, no Luxemburgo, pelo ministro do Ambiente e Ação Climática, João Matos Fernandes, abordará ainda dois outros dossiês que eram apontados como prioritários pela presidência portuguesa: a estratégia europeia para o hidrogénio, e a «vaga de renovação» com vista a acelerar a renovação de edifícios a nível da UE, promovendo em simultâneo a eficiência energética, a circularidade e a melhoria do desempenho ambiental dos edifícios.

Quanto à estratégia para o hidrogénio, o Conselho já adotou em dezembro passado conclusões sobre a estratégia apresentada pela Comissão, havendo hoje lugar apenas a uma troca de pontos de vista entre os 27 sobre como promover a aposta no hidrogénio renovável também no desígnio da descarbonização, mas relativamente à "vaga de renovação", os ministros deverão adotar conclusões sobre a estratégia proposta pelo executivo comunitário, com vista a encorajar e apoiar a renovação em larga escala de edifícios até 2030.

ACC // SF

Lusa/fim

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.