O jurado destaca "o bom exercício jornalístico do trabalho que coloca em relevo o valor dos testemunhos diretos dos envolvidos" no documentário feito no chamado "Corredor de Nacala", em Moçambique, "emitido por RTP África/Divergente.pt", em 29 de dezembro de 2018.

Para o júri, o programa "reflete com realismo as consequências da agricultura intensiva, dando voz a quem não costuma tê-la: os camponeses expropriados, com destaque para o papel das mulheres, num reflexo fiel do seu ativismo e luta pelos seus direitos".

Sofia da Palma Rodrigues trabalhou como jornalista em diversas publicações e atualmente faz parte da direção dos Bagabaga Studios, uma cooperativa dedicada à produção de media digitais, e é editora da Divergente, uma revista independente de jornalismo multimédia.

O Rei de Espanha, Felipe VI, vai entregar, numa cerimónia em Madrid a realizar em 23 de março próximo, os Prémios Internacionais de Jornalismo Rei de Espanha.

Palma Rodrigues está entre os vencedores das dez categorias em que se divide o galardão, que este ano também incluí jornalistas da Colômbia, Brasil e Espanha.

Os prémios têm como objetivo reconhecer o trabalho informativo dos profissionais jornalistas em língua espanhola e portuguesa dos países que constituem a comunidade ibero-americana de países e os nacionais dos estados com quem a Espanha mantém vínculos de natureza histórica e cultural.

Estes galardões são atribuídos anualmente desde 1983, tendo sido criados pela agência de notícias espanhola EFE e a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento.

FPB // MAG

Lusa/Fim

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.