As dificuldades destes estudantes começam logo antes de chegarem a Portugal, uma vez que só após a inscrição estar garantida é que o visto começa a ser tratado, o que em alguns casos demora meses.

"As embaixadas demoram muito tempo a tratar do visto. Há casos em que os alunos chegam a Portugal em março, apesar de o ano letivo começar em setembro", contou à Lusa o presidente da Associação de Estudantes da Guiné-Bissau em Lisboa, Diogo Gomes.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.