A formalização da plataforma aconteceu hoje, em Lisboa, no decorrer da conferência "Combater a situação de sem-abrigo -- Uma prioridade da Europa Social", organizada pela presidência portuguesa do Conselho da União Europeia, em conjunto com a Comissão Europeia, através da assinatura da declaração de Lisboa por todos os Estados-membros, além dos representantes das instituições da União Europeia, das organizações da sociedade civil e dos parceiros sociais.

Na altura, a ministra Ana Mendes Godinho disse esperar que o momento seja marcante e fique na memória de todos, sublinhando o orgulho que disse sentir pelo facto de a presidência portuguesa ter conseguido a assinatura da Declaração de Lisboa e o lançamento da plataforma europeia.

"Este é um salto de gigante, mas é também o início de uma longa e permanente e responsável e consistente caminhada que faremos juntos, colocando no centro das nossas políticas sempre as pessoas e concretamente as pessoas que vivem em situação de sem-abrigo, dando-lhes esperança real, dando-lhes voz efetiva e ouvindo-as com consequência e resultado", disse a ministra portuguesa.

Para a governante, mais do que um objetivo, a plataforma é em si mesmo um "ponto de partida" para que todos tenham garantido o direito de acesso a habitação, saúde ou serviços básicos e a uma real inclusão social.

Ana Mendes Godinho defendeu que "o tempo é de agir para fazer história" para "assegurar uma recuperação económica e social justas", para que todos possam viver de forma digna, em igualdade e sem discriminação.

SV // ZO

Lusa/fim

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.