Em ambas as cidades, os participantes dos protestos lançaram objetos, fogo de artifício e pedras contra a polícia, o que levou as autoridades a atuar, nomeadamente com recurso a canhões de água, e depois controlar com cães as áreas circundantes das praças para evitar que os manifestantes regressassem.

Em Eindhoven, depois de a polícia ter usado um canhão de água para dispersar o protesto, um grupo de manifestantes regressou à praça 18 Septemberplein, tendo os agentes policiais recorrido ao gás lacrimogéneo contra os participantes, que se recusavam abandonar o local.

OS manifestantes pegaram fogo um contentor e vários automóveis, partiram janelas de vários edifícios, saquearam lojas da estação central de Eindhoven e nos seus arredores, registando-se vários atos de vandalismo em espaços públicos.

A praça ficou, entretanto, vazia, mas cheia de pedras que foram arremessadas durante o protesto, tendo sido detidas dezenas de pessoas devido às altercações em Eindhoven, onde o tráfego ferroviário está fechado, tal como a estação, para que os manifestantes não possam aceder.

Já em Amesterdão, a polícia dispersou uma manifestação de cerca de 250 pessoas com canhões de água e retirou à força aqueles que se recusavam sair da praça Museumplein, que tinha sido considerada hoje como área de risco de segurança pelas autoridades locais, tendo depois sido declarada a emergência municipal em toda a cidade.

Em nenhuma das manifestações os participantes usaram máscaras ou mantiveram o distanciamento social.

Os protestos visam as medidas que entraram em vigor na Holanda no sábado, onde se inclui o dever de recolhimento obrigatório, a primeira restrição à mobilidade aplicada no país desde que, em março de 2020, começou a pandemia, que exige um razão ponderosa para sair à rua entre as 21:00 e as 04:30.

Na noite passada, a polícia holandesa aplicou mais de 3.600 multas e deteve 25 pessoas, no primeiro dia de recolhimento obrigatório, que culminou com protestos nas duas cidades.

ALU // MCL

Lusa/Fim

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.