A cerimónia acontece às 11:00 locais, na Aula Magna Galileo Galilei, daquela Universidade, sendo Manuel Alegre o primeiro português a receber tal distinção.

Também hoje à tarde, e durante o dia de quinta-feira, realiza-se, nesta universidade, o Colóquio Internacional “Manuel Alegre, Poeta da Liberdade”, no qual participam vários investigadores, entre os quais Sandra Bagno, Giulia Lanciani, Maria Luisa Cusati e Paola Mildonian, e ainda os portugueses Luís Faro Ramos, presidente do Instituto Camões, José Manuel Mendes, presidente da Associação Portuguesa de Escritores, Paula Morão, catedrática da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Teresa Carvalho, professora na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, José Carlos de Vasconcelos, escritor e jornalista, João Céu e Silva, jornalista e escritor, e Cecília Andrade, editora, nas Publicações Dom Quixote, dos livros de Manuel Alegre.

Em 2009, a Universidade de Pádua, no nordeste de Itália, instituiu a Cátedra Manuel Alegre, destinada ao estudo da Língua, Literatura e Cultura Portuguesas, em colaboração com o Instituto Camões.

Além do Poeta da Praça da Canção, recentemente galardoado com o Prémio Camões, o mais importante da Literatura Portuguesa, foram anteriormente distinguidos com o mesmo grau académico, no ano passado, o realizador de cinema norte-americano Steven Spielberg, em Ciências Históricas, a Prémio Nobel da Paz em 2014, a paquistanesa Malala Yousafzai, em Formação Cultural e Sociedade Global, e, em Química, o cientista polaco Krzysztof Matyjaszawski.

A Universidade de Pádua tem como lema “Universa Universis Patavina Libertas”, e é a segunda mais antiga do mundo, tendo sido frequentada pelo historiador e humanista português Damião de Góis (1502-1574).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.