Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Merkel disse na Câmara Baixa do Parlamento de Berlin (Bundestag) que é “imprescindível manter as relações bilaterais”, com “toda a claridade” e com base nos valores e posições da Alemanha.

A proibição de comícios junto da comunidade turca na Alemanha sobre o próximo referendo na Turquia — que pede o reforço dos poderes presidenciais de Erdogan – tem deteriorado as relações entre os dois países.

A chanceler alemã considerou “triste” e “deprimente” a declaração do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, que comparou a Alemanha com o regime nazi.

“Por muito difícil que seja este momento, por muito inaceitáveis que sejam algumas coisas, os nossos interesses relacionados com política externa e segurança geopolítica não podem deixar que a Turquia, país aliado no quadro da NATO, se afaste mais”, acrescentou Merkel.