Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

“A concelhia foi informada durante a tarde de hoje pela Comissão Política Distrital de que a doutora Teresa Leal Coelho deverá ser a candidata do partido às eleições autárquicas”, afirmou à agência Lusa o presidente da concelhia social-democrata, no final de um plenário concelhio de militantes.

Mauro Xavier apontou também que “um dos temas debatidos na reunião foi o ponto de situação das autárquicas, e os militantes manifestaram o apoio incondicional à candidatura da doutora Teresa Leal Coelho”, atual vereadora da Câmara Municipal de Lisboa e vice-presidente do PSD.

Questionado sobre os estatutos do partido, que referem que “compete à Comissão Política de Secção propor à Comissão Política Distrital as listas de candidatura aos órgãos das autarquias”, para serem aprovados, e depois homologados pela Comissão Política Nacional, o presidente da concelhia invocou uma “tradição antiga”.

“Os estatutos do partido são esses e são válidos, mas em Lisboa existe uma tradição antiga que respeitamos. Para evitar um desalinhamento, existe a tradição de informalmente o nome do candidato às eleições autárquicas ser informado pela Comissão Política Nacional”, afirmou.

Na quinta-feira, o presidente da concelhia de Lisboa do PSD manifestou “profundo desagrado” por esta estrutura não ter sido envolvida na escolha do candidato do partido à presidência da Câmara Municipal.

“Acabei de ver que Passos Coelho deu a indicação do nome do candidato à Câmara Municipal de Lisboa, mas remeteu esse anúncio para a distrital da capital, este fim de semana. Enquanto presidente do PSD/Lisboa, venho demonstrar o meu profundo desagrado com a metodologia escolhida e pelo não envolvimento da concelhia no processo”, escreveu Mauro Xavier numa publicação feita na sua página pessoal da rede social Facebook.

Horas antes, o presidente do partido, Pedro Passos Coelho, havia afirmado que o nome já está definido e trata-se de “uma boa escolha”, no dia em que o nome de Teresa Leal Coelho foi dado como certo na corrida à liderança do município pelos sociais-democratas.

Nas declarações prestadas aos jornalistas, Passos Coelho salientou que o objetivo do partido na capital é o mesmo que para o país: “Ganhar”.

Sobre o ‘timing’ do anúncio, o líder do PSD disse que não será ele a fazê-lo, mas a distrital de Lisboa do partido, que reunirá no domingo.

Hoje, o presidente da concelhia social-democrata advogou que o seu “desagrado não é com o nome mas com a forma como as coisas aconteceram, porque passaram o processo para a distrital e não para a concelhia”.

Segundo Mauro Xavier, na reunião de domingo “deverão ser votados vários nomes”.

Na corrida à presidência da Câmara da capital estão já Assunção Cristas (CDS-PP), João Ferreira (CDU) e Ricardo Robles (BE).

Pelo PS, o candidato deverá ser o atual presidente, Fernando Medina.