Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Num artigo publicado no jornal “The Mail on Sunday”, John Major disse que a campanha a favor da saída do Reino Unido da União Europeia (‘Brexit’), em que participou o atual ministro dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson, esteve baseada em “factos e falsas promessas”.

O ex-primeiro-ministro, que esteve no cargo entre 1990 e 1997, lamentou que uma fação dos conservadores se oponha a qualquer crítica à sua visão de “um ‘Brexit’ duro”, atitude que classificou de “profundamente antidemocrática e muito pouco britânica”.

“Lançaram ataques pessoais contra o Governador do Banco de Inglaterra, contra juízes, altos funcionários, políticos estrangeiros e outras figuras públicas”, disse John Major.

“Se esse rancor vem das massas ou de minorias extremas pode ser ignorado. Mas quando se trata de políticos, incluindo aqueles que estão no partido do Governo, é hora de enfrentá-lo”, sustentou.

Para o antigo primeiro-ministro, romper por completo os laços com a UE e com as regras do comércio da Organização Mundial do Comércio (OMC) com os 27 parceiros da UE seria um “desastre” para a economia britânica.