Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

O tenente-coronel Vicente Pereira afirmou os novos formandos vão beneficiar de uma melhor distribuição das horas de sono, da alimentação e da água a ingerir, visando "mais equilíbrio" entre a taxa de esforço e a taxa de recuperação dos militares em prova.

O chefe do Estado-Maior do Exército, general Rovisco Duarte, autorizou a realização do 128.º de Comandos, a começar no início de abril, depois de aprovar o Referencial do Curso, que foi adaptado à nova metodologia de formação do Exército, em vigor desde 2013.

Questionado pela Lusa sobre quais foram as alterações na instrução desenhada para o 128.º curso, Vicente Pereira disse que "vai haver maior cuidado na avaliação da taxa de esforço demonstrada e uma maior preocupação quanto à taxa de recuperação", disse.

Vicente Pereira recusou dar detalhes sobre as fichas de instrução, alegando que são classificadas, mas adiantou que houve uma "reordenação das provas" e que se estipulou uma "redistribuição" dos parâmetros de recuperação.

Assim, afirmou, serão geridos com "maior cuidado" as horas de sono previstas, o descanso, a alimentação e a água a ingerir pelos formandos durante as provas.

De acordo com o porta-voz do ramo, a formação prestada na Escola Preparatória de Quadros aos formadores do curso de Comandos também foi reforçada no sentido de haver maior rigor no cumprimento das orientações.

Vicente Pereira adiantou ainda que prossegue o projeto de investigação iniciado há três anos com a Universidade do Porto para estudar os efeitos do esforço físico e psicológico nos Comandos.

O Exército divulgou hoje que o chefe do ramo, Rovisco Duarte, aprovou o Referencial do Curso, no seguimento das recomendações feitas pela Inspeção Técnica Extraordinária realizada após a morte de dois instruendos do curso anterior, em setembro passado.