Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

“Creio que devemos todos estar conscientes do valor mútuo da NATO”, declarou a chanceler numa conferência de imprensa em Berlim com o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau.

“É verdade para nós na Alemanha e para os membros europeus da Aliança Atlântica, mas também acredito que os Estados Unidos têm desenvolvido o seu poder através da NATO e que a NATO é uma organização importante também para os Estados Unidos da América”, adiantou Angela Merkel.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, mostrou-se muito crítico da Aliança Atlântica durante a sua campanha para a Presidência, numa altura em que a Rússia intimida o Velho Continente e em que a NATO – dominada pelos Estados Unidos – parece ser o único baluarte face a Vladimir Putin.

Trump qualificou a Aliança de “obsoleta” e criticou os aliados por não compartilharem o fardo financeiro.

Angela Merkel assegurou que a Alemanha vai aumentar as suas despesas militares para 2% do produto interno bruto (PIB), como se comprometeu durante uma cimeira da NATO em 2014 no País de Gales.

A chanceler deverá seguir depois para o sul da Alemanha onde se inicia hoje a conferência sobre a segurança de Munique, uma importante reunião anual que junta numerosos dirigentes ocidentais e na qual participam o vice-Presidente norte-americano, Mike Pence, e o secretário da Defesa, James Mattis.