Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

A 15 de dezembro de 1989, Arturo di Modica, um artista siciliano, instalou ilegalmente um touro de bronze no Bowling Green Park, perto de Wall Street, como resposta ao crash financeiro de 1987 - Black Monday. Esta estátua, conhecida por Charging Bull, é uma metáfora para o poder financeiro da bolsa de valores dos Estados Unidos da América e para a perseverança dos norte-americanos. Diz-se mesmo que a posição da cabeça do touro simboliza a subida das ações. Hoje em dia, o facto é que é um marco turístico na cidade, não passando despercebido com os seus quase cinco metros de comprimento e quatro de altura.

Agora, a 7 de março de 2017, o Charging Bull encontrou companhia. Melhor: o poderoso touro encontrou uma adversária. A Menina Destemida, uma estátua também de bronze criada pela artista Kristen Visbal. Trata-se de um projecto da empresa State Street Global Advisors e da agência de publicidade McCann New York. Ao contrário da estátua de Modica, esta foi instalada com a permissão das autoridades, ainda que temporariamente.

À primeira vista, esta é apenas uma menina de mãos na cintura, de vestido e cabelo apanhado, numa atitude de desafio ao animal de grandes proporções que tem pela frente. No entanto, o verdadeiro significado é mais complexo e pode ser lido aos pés da estátua: “Conheçamos o poder da mulher na liderança. Ela faz a diferença.” Deste modo, a agência de publicidade quis marcar uma posição no Dia Internacional da Mulher - e enquanto a estátua lá permanecer -, sobre a importância de integrar mulheres nos quadros de liderança das empresas.

Olhando para os números, segundo o índice Russell 3000, uma referência no mercado de ações dos Estados Unidos, 28% das empresas não têm mulheres nos seus quadros superiores, sendo este número ainda bastante significativo. Assim, a Menina Destemida vem lembrar que são precisas mulheres sem medo, que possam enfrentar todos os obstáculos, mesmo quando estes parecem impossíveis de transpor.

Desde que a estátua apareceu, tem sido inúmeras as pessoas que imitam a pose da criança que enfrenta o touro, passando a fazer parte deste movimento que, de forma algo discreta, pretende dar voz às mulheres no mundo do trabalho.

Tendo em conta a história do Charging Bull que, apesar de ter sido instalado à revelia, acabou por ficar e ser um símbolo de Wall Street, fica a incógnita quanto ao destino da Menina Destemida. Será que por ali vai continuar, enfrentando todos os desafios e promovendo a igualdade de género? É esperar para ver.