Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Francisco estará no local que, em 1917, era um “ermo onde mal cresciam árvores rasteiras e medravam ervas que os rebanhos pastavam com dificuldade”, segundo se lê no livro “Fátima: como nasceu e cresceu”, de Francisco Pereira de Oliveira.

O percurso papal, segundo noticiou a emissora católica, Rádio Renascença, em janeiro, levará Francisco da base aérea de Monte Real à Capela das Aparições, no Santuário, regressando a Roma também pela base n.º 5 da Força Aérea.

Locais por onde passará o Papa

Base aérea de Monte Real: há 50 anos, recebeu o Papa Paulo VI para as comemorações das “aparições”. Foi inaugurada em 4 de outubro de 1959 e na altura estava equipada com caças F-86. Base da Força Aérea Portuguesa, acolhe, desde a década de 1990, uma esquadra de caças F-16.

Capela das Aparições: só dois anos após as “aparições”, em 1919, foi construída a capela, mas foi destruída por uma bomba em março de 1922 e reconstruída no mesmo ano.

A primeira missa celebrou-se a 13 de outubro de 1921. Em 1924 foi construído um alpendre, permitindo realizar as missas.

Durante os anos, foi sofrendo alterações, mas o arranjo atual foi inaugurado antes da primeira visita do papa João Paulo II, em 1982, resultado do trabalho do arquiteto José Carlos Loureiro. Lá dentro, continua a imagem original de Nossa Senhora de Fátima, da autoria José Ferreira Thedim.

Segundo a história e os relatos dos três pastorinhos, foi no local onde está a capela que dizem ter visto a imagem de Nossa Senhora do Rosário, que pediu para construir uma capela em sua honra.

Basílica de Nossa Senhora do Rosário: Foi construída a partir de um projeto do arquiteto holandês Gerard Van Kriechenb, que morreu a meio da construção. Depois, a obra foi continuada pelo arquiteto português João Antunes. Demorou cerca de 25 anos a construir e a sua sagração aconteceu a 07 de outubro de 1953.

Construída com pedra da região, os altares são em mármore de Estremoz. A torre tem 65 metros de altura, 70 metros de comprimento e 37 de largura. O carrilhão tem 62 sinos. Tem 14 altares laterais.

Na escadaria, já está quase concluído o altar onde o Papa celebrará a missa de 13 de maio.

Basílica da Santíssima Trindade:  Não está prevista nenhuma cerimónia do papa na basílica, mas Francisco passará junto a ela para ir rezar à capelinha das Aparições.

Demorou quatro anos ser construída, é uma basílica moderna, projetada pelo arquiteto grego Alexandros Tombazis, com uma decoração inspirada na arte bizantina e ortodoxa.

Tem quase 9.000 lugares sentados e a capela é inclinada, acompanhando o terreno original. A imagem de Nossa Senhora de Fátima, do italiano Vanni Rinaldi. No interior, há painéis de azulejo de Siza Vieira.

O cardeal Tarcisio Bertone, então secretário de Estado do Vaticano, presidiu às cerimónias de inauguração.

Casa Nossa Senhora do Carmo: Foi na Casa de Retiros Nossa Senhora do Carmo, inaugurada a 13 de maio de 1986, que ficaram instalados dois papas – João Paulo II e Bento XVI – nas suas visitas a Fátima.

Os seus quartos são simples e os aposentos onde pernoitaram os papas têm um quarto, casa de banho, uma sala e uma pequena sala de reuniões.

Antes de ser casa de retiros, funcionou ali um hospital.

Fica situada num edifício contíguo àquele onde funciona a reitoria do santuário, a poucos metros da Capela das Aparições.