Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

“Colocámos a fasquia na conquista de títulos como obrigatoriedade, sendo o mais importante sermos campeões nacionais, e não só uma vez, nos próximos quatro anos”, disse o presidente do Sporting perante uma plateia que lotava o auditório Artur Agostinho.

Nesse sentido, afirmou que o clube está “no rumo certo”, do qual, garantiu, não se desviará e que “já está a trabalhar em força” na preparação da próxima época, reconhecendo que a que está em curso não correu como imaginava e que “é preciso melhorar o que tem de ser melhorado e corrigido o que correu mal”.

O presidente reeleito apontou a necessidade de consolidar o trabalho dos últimos quatro anos, de manter uma gestão rigorosa e sustentada e de fazer felizes os sócios do Sporting, ponto este que considerou ter sido uma mensagem importante saída do ato eleitoral.

“Os sócios passaram uma mensagem de confiança nesta equipa e neste presidente, mas querem a retribuição que é façam-nos felizes. E esta responsabilidade já foi transmitida a todos os que trabalham no Sporting, uma responsabilidade em relação ao maior património do clube, que são os sócios, por quem vamos dar tudo”, acrescentou Bruno de Carvalho.

A aposta no reforço da formação foi outro dos objetivos definidos pelo presidente ‘leonino’, nomeadamente nas infraestruturas e a nível humanos e de recrutamento, recordando que no último jogo frente ao Tondela, para o campeonato, alinharam de início cinco jogadores formados no clube e estiveram no ‘banco’ outros cinco.

Prometeu manter-se “firme na reestruturação financeira e no cumprimento das regras do ‘fair-play’ financeiro imposto pela UEFA, prosseguir a luta pela transparência no desporto, em particular no futebol”, dando contributos para melhorar a arbitragem e enaltecendo o facto de o Conselho de Arbitragem da FPF “ter plasmado no seu programa algumas das propostas que feitas pelo Sporting para o setor”.

O combate à corrupção, o novo Regime Jurídico do praticante desportivo, a continuidade do Sporting na direção da Liga, a colaboração com a FPF com propostas para melhorar o futebol português, a aposta no ecletismo a nível nacional e internacional, com a conquista de títulos, e a consagração de Peyroteo como o maior goleador da história do futebol foram outros objetivos apontados por Bruno de Carvalho para o mandato.

Finalmente, Bruno de Carvalho revelou que o Sporting conta, já em julho próximo, ter 32 por cento das reservas dos 44 milhões necessários para a recompra das VMOC´s (Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis), um compromisso do qual “nunca abdicará nem poderá capitular”, para que seja possível no próximo mandato recuperá-las e manter o clube com a maioria do capital da SAD”.

Na tomada de posse dos novos órgãos sociais, que decorreu hoje em Alvalade, estiveram presentes várias figuras conhecidas do mundo do desporto, empresarial e da política, entre eles Jorge Coelho, que ocupou o cargo de ministro em vários governos, Miguel Relvas, ex-ministro Adjunto e dos Assusntos Parlamentares do anterior Governo, ambos membros eleitos para o Conselho Leonino, João Proença, ex-secretário-geral da UGT (União Geral dos Trabalhadores, o deputado do PS, Vitalino Canas, o antigo presidente do Sporting, Sousa Cintra, o médico José Maria Tallon, entre outros.