"Tenho de lamentar que uma grande instituição como é o Benfica esteja refém de claques ilegais e que o presidente não tenha coragem para alterar as coisas. O convite tinha um intuito. Eu não receberia nos mesmos moldes, mas aceitaria. Acho que, quando demos desculpas por formas e não por conteúdos... está tudo dito", disse o presidente do Sporting Clube de Portugal após a recusa de Luís Filipe Vieira, presidente do Sport Lisboa e Benfica, ter recusado assistir ao dérbi desta noite na tribuna presidencial do estádio de Alvalade.

Sobre o incidente desta madrugada, o presidente dos leões disse lamentar a morte do adepto italiano da Fiorentina afeto ao Sporting. "Infelizmente, já não é a primeira vez que isto acontece. Tive de viver o outro caso de muito perto, como adepto, e agora outro, como presidente. O futebol pode viver de rivalidades sem ultrapassar barreiras, com o a família e a vida humana. Não faz sentido nenhum o que aconteceu".

Bruno de Carvalho disse ainda sentir "pena" por ter de "assistir a tarjas a gozar com um adepto morto, que tem família, e a petardos lançados mesmo em Alvalade contra famílias".

"Não vejo atitudes do presidente do Benfica a condenar atitudes lamentáveis", concluiu o homem forte dos leões.

Por outro lado, Bruno de Carvalho cita o exemplo do Sporting que já impediu "a entrada de adeptos" em Alvalade através dos tribunais. "Temos de arrumar primeiro a nossa casa para depois termos moral. O Sporting tem as suas claques legais", escreveu o presidente dos verdes e brancos.

Por fim o presidente do Sporting deixou uma mensagem à família leonina: "Peço que não reajam, que vivam este jogo com alegria. Bem sei que é um jogo importante, mas é um dia triste. Não vamos fazer pior. Vamos mostrar que o Sporting sabe ser melhor".

Sporting e Benfica enfrentam-se esta noite em Alvalade, em jogo a contar para a 30ª jornada da Liga NOS.

Acompanhe o jogo ao minuto aqui, no SAPO 24.