78 membros do Comité Olímpico Internacional com direito a voto aprovaram a proposta de por unanimidade. O COI agora tem dois meses para organizar um acordo que beneficie as três partes, mas Paris parece ser a favorita para sediar a edição de 2024, já que comemoraria 100 anos do evento organizado em 1924 na capital francesa.

Antes da votação, o presidente francês Emmanuel Macron fortaleceu a candidatura do país.

"Vim aqui para apoiar o grupo e indicar o quão importante estas Olimpíadas são para nosso país. A França está preparada e espera os Jogos", disse Macron. "Perdemos a disputa para sediar em três ocasiões. Não queremos perder uma quarta vez", acrescentou o líder francês.

Macron, a presidente da câmara de Paris, Anne Hidalgo, e o co-presidente da candidatura, Tony Estanguet, defenderam a capital francesa como sede.

"Os valores que representam o olimpismo são nossos valores", acrescentou Macron. "Hoje em dia, estão ameaçados e questionados. É o melhor momento para defender esses valores de abertura, tolerância, justiça, respeito pelo ambiente. Tudo isso está a ser defendido pela candidatura de Paris, 100 anos depois de organizar o evento pela última vez", afirmou Macron.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não viajou até à cidade suíça. No entanto, publicou uma mensagem na rede social Twitter onde não fez menção à candidatura de 2024: "Trabalhamos duro para trazer os Jogos Olímpicos para os Estados Unidos. Continuaremos assim". Ambos mandatários vão encontrar-se, na próxima sexta-feira, para celebrar a festa nacional francesa.

O grande espetáculo olímpico começou com a candidatura californiana, liderada pelo presidente da câmara Eric Garcetti, o primeiro a apresentar o projeto. Ao seu lado, estavam o chefe da candidatura, Casey Wasserman, e os atletas Allyson Felix e Michael Johnson.

A candidatura da Los Angeles "não é questão de dinheiro, ego, orgulho da América, ou sobre ganhar e perder", indicou Wasserman no seu discurso.

"Trata-se de servir o movimento olímpico para além de 2024, para criar uma nova Olimpíada para uma nova era", acrescentou, parecendo abrir as portas para organizar o evento em 2028.

Decisão em Lima

As duas cidades aspirantes tiveram os mesmos 45 minutos de tempo para apresentarem as suas ideias, com um máximo de 10 participantes. Depois, cada grupo teve trinta minutos para perguntas e respostas com os membros do movimento olímpico.

"Realmente tenho confiança, acho que podemos escrever uma bela história entre Paris e Los Angeles. O facto de existir esta amizade entre Eric Garcetti e eu pode permitir que tenhamos uma proposta ao COI em que as três partes ganhem", declarou Anne Hidalgo na segunda-feira.

Gercetti indicou que a candidatura tem dois objetivos: "levar as Olimpíadas para os Estados Unidos e depois levá-la até Los Angeles".

O que precisará de ser decidido é qual a cidade que vai organizar cada edição. Mas isso só será definido pelo COI no dia 13 de setembro, em Lima.