Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Campeão mundial em 2014, Schweinsteiger, de 32 anos, optou pela mudança para os Estados Unidos, dependente apenas de passar nos habituais exames médicos e de um visto, depois de quase não ter sido utilizado pelo técnico luso na presente temporada.

“Estou triste por deixar muitos amigos do Manchester United, mas muito agradecido ao clube por me dar a possibilidade de poder jogar nos Chicago Fire”, afirmou o jogador germânico ao sítio dos ‘red devils’ na Internet.

Autor de 24 golos em 121 jogos pela principal seleção germânica, o médio que já passou pelo Bayern Munique e é casado com a ex-tenista sérvia Ana Ivanovic, antiga número 1 mundial, diz ter gostado de alinhar no clube inglês.

“Gostei de trabalhar com o treinador (Mourinho), os jogadores e todo o ‘staff’. Desejo-lhes o melhor para o futuro”, disse o alemão, acrescentando: “Queria deixar um agradecimento especial aos adeptos do Manchester United, que foram uma parte muito importante durante o tempo que passei no clube”.

Schweinsteiger recordou, nomeadamente, a conquista da Taça de Inglaterra, na época transata, adiantando que nunca se esquecerá da “energia e paixão” dos adeptos.

“Agora, é o tempo certo para começar um novo capítulo, em Chicago. Estou Ansioso”, finalizou o alemão, ao qual o clube desejou “o melhor” para a sua aventura nos Estados Unidos.

De acordo com o Chicago Tribune, Schweinsteiger terá chegado a acordo para um contrato de um ano, a troco de 4,5 milhões de dólares (cerca de 4,1 milhões de euros), o que fará dele um dos jogadores com melhor salário na competição.