Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

A divisa britânica também se depreciou face ao euro para níveis nunca registados desde meados de janeiro passado e cotava-se a 1,139 euros hoje de manhã, menos 0,67% do que na segunda-feira.

No caso do dólar, a libra perdeu terreno em parte devido ao fortalecimento da moeda norte-americana, nas vésperas da Reserva Federal norte-americana (Fed) se pronunciar sobre a evolução das taxas de juro.

Os investidores no mercado de divisas também reagiam ao anúncio feito na segunda-feira pela ministra principal do Governo escocês, Nicola Sturgeon, de que pedirá ao executivo britânico uma ordem para convocar um novo referendo separatista na Escócia, devido aos desacordos com Londres em relação ao ‘Brexit’ (saída do Reino Unido da UE).

Os escoceses já votaram em 2014 num referendo separatista na Escócia, no qual 55% contra 45% dos eleitores apoiaram a permanência no Reino Unido.

Sturgeon anunciou na segunda-feira que vai promover a legislação necessária para celebrar outra consulta entre o outono de 2018 e a primavera de 2019, depois d concluir que a primeira-ministra britânica, Theresa May, não está a ouvir os interesses da Escócia nas negociações com Bruxelas.

Juntamente com a Irlanda do Norte e ao contrário de Inglaterra e Gales, a Escócia votou, por 62% contra 38%, a favor de permanecer na União Europeia (UE) no referendo de 23 de junho último.

Os mercados também estão à espera que May ative nos próximos dias o artigo 50 do Tratado de Lisboa, que dará início aos dois anos de negociações para a saída do Reino Unido da UE.