A Web Summit está aí à porta, novamente. A maior feira de tecnologia da Europa juntará mais de 50 mil pessoas de todo o mundo, em Lisboa, para ouvirem palestras, conhecerem pessoas e angariarem dinheiro. Aliás, para ouvirem talks, fazerem networking e angariarem capital, assim é que é. O mundo das startups parece a escola preparatória que frequentei na Damaia: tem um dialecto próprio, mas em vez do crioulo, usam-se estrangeirismos anglo-saxónicos que substituem metade do vocabulário nacional. Aqui podem ver um pequeno resumo das palavras mais importantes do dicionário de Português -> Startupês

  • Dinheiro -> Capital
  • Investimento -> Investment / Levantamento de capital / Ronda de funding
  • Pessoa com dinheiro -> Angel Investor
  • Mudar -> Shiftar / Fazer o pivot
  • Inovador -> Disruptivo
  • Apresentação -> Pitch
  • Mil -> K
  • Sucesso na vida -> Exit

  • Estive presente nas duas edições anteriores como gestor de algumas startups e, por isso, acho que tenho credibilidade necessária para vos dar algumas dicas para que possam usufruir deste certame em toda a sua plenitude. Por exemplo, na abordagem a um investidor, devem sempre utilizar todos os termos do dicionário startupês ao explicar no que consiste a vossa startup (aliás, vocês não vão explicar o que fazem, vocês vão fazer um elevator pitch). Imaginem que têm uma startup que consiste numa app onde os utilizadores podem encomendar pizzas que lhes serão entregues em casa. Eis o que devem dizer:

    "A nossa startup oferece uma user experience nunca antes vista. É um conceito disruptivo que vai shiftar o mercado e criar revenue streams que até agora não tinham sido exploradas. Aproveitando a uberização do mercado, criámos uma app inovodora que sem qualquer budget para marketing já atingiu o milestone do break even e que está agora pronta para uma primeira ronda de investment."

    O que é que isto quer dizer, na verdade? Que a vossa startup é uma merda e que precisam de dinheiro porque já estão na falência.

    Imaginem que as pessoas falavam em dialecto de startup relativamente à sua vida pessoal: "Sabes como é Zé, o meu networking com a Carla tem corrido bem e estamos a cimentar relações para uma futura partnership. No entanto, ela está a fazer-se de difícil e estou a precisar de muito investment para shiftar a opinião dela sobre ir para a cama comigo. Já investi muito capital em jantares, mas ela não ficou convencida com o meu pitch ao ponto de ir a minha casa beber um copo. Está complicado, acho que vou ter de efectar uma PR stunt para ser disruptivo e fazer uma seed round com os meus pais que são os meus angel investors para a levar a um hotel de 5 estrelas e lhe conseguir fazer uma exit ao contrário."

    É um mundo estranho este das startups. Aliás, sabem porque é que 9 em cada 10 startups falha? Porque são ridículas e ninguém precisa delas. Vou dar três exemplos de startups reais, para mostrar que este mundo das apps está descontrolado.

    Layoffspace – um Facebook para desempregados. Não é uma espécie de Linkedin para arranjarem emprego, é mesmo para conhecerem e serem amigos de outros desempregados. Deve ser para terem alguém para fazer sexo a uma segunda-feira às três da tarde ou para sair à noite à terça-feira. Dá jeito, mas depois quem é que paga as cervejas?

    Eggminder – uma app que te diz quantos ovos tens no frigorífico. Acho que não funcionou muito bem devido à forte concorrência de uma startup que era genial, reparem bem: abrir o frigorífico e saber contar até meia dúzia.

    Looney – uma rede social para falares com os teus amigos imaginários. Teve de fechar porque foi processada por plágio pela Igreja Católica.

    Sugestões e dicas de vida completamente imparciais:

    Por falar em startups, experimentem a aplicação Fuck, Marry Kill: uma espécie de Tinder, mas que, como estive envolvido na sua criação, é muito melhor.

    Se toda a gente vos disser que a vossa ideia de negócio é má, não desistam porque hoje em dia as coisas más também fazem dinheiro.

    Não se esqueçam que Tomar, Guimarães e Funchal são as próximas datas que não estão esgotadas do meu espectáculo de stand up comedy e que podem comprar bilhetes aqui.