Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Financiado pelo programa COMPETE 2020º, a página www.universitiesportugal.com pretende afirmar-se como “a porta de entrada para todos os que considerem Portugal uma opção para o seu destino de estudos universitários, dando aos utilizadores um conjunto de informações sobre as universidades e os seus cursos, e sobre a vida em Portugal”, indicou o CRUP.

O número de estudantes internacionais no ensino superior português é já mais do dobro do início da década e no ano letivo de 2015/2016 estavam já inscritos em universidades portuguesas cerca de 38 mil estudantes de nacionalidade estrangeira, segundo dados do CRUP.

Manuel António Assunção, coordenador da comissão especializada de internacionalização do CRUP e reitor da Universidade de Aveiro, acredita que “Portugal e as suas universidades têm argumentos fortes para continuar a atrair os estudantes internacionais”

“Temos um país seguro, tolerante às diferenças, com um clima agradável, património invejável e gente simpática e temos universidades que ocupam regularmente lugar nos ‘rankings’ internacionais de referência, o que certifica a sua qualidade global”, disse.

Entre as vantagens da internacionalização, Manuel António Assunção destaca o facto de que “os estudantes internacionais que passam pelas universidades portuguesas, e que geralmente têm uma ótima experiência, criam um vínculo inquebrável com Portugal”.

“Tornar-se-ão nossos embaixadores pelo mundo, o que beneficiará não apenas as universidades, mas toda a economia portuguesa, a que se somam impactos culturais e sociais. Além disso, induzem um ecossistema multicultural na universidade, o que permite a todos os estudantes (incluindo os nacionais) não só ter oportunidades para aperfeiçoar o seu conhecimento linguístico como, principalmente, perceber e adaptar-se melhor ao mundo globalizado em que vivemos”, comentou.

Além do lançamento do ‘website’, as universidades portuguesas vão participar, durante o primeiro semestre de 2017, em eventos internacionais de divulgação da sua oferta formativa junto dos estudantes de países como o Brasil (Salão do Estudante), China (China International Education Exhibition Tour) e Moçambique (Feira Internacional de Educação de Maputo).

A mobilidade de estudantes de ensino superior é uma tendência global e a OCDE estima que o número de estudantes internacionais crescerá de 4,5 milhões em 2012 para cerca de 8 milhões em 2025.