Tornou-se num ponto turístico de paragem obrigatória. Num dos pavilhões do Techdays, em Aveiro, no stand da Altice LABS, há um espelho diferente que atrai a curiosidade dos visitantes da feira. É o Smart Mirror, um espelho inteligente, como o próprio nome o indica, que pretende dar ao utilizador todo o acesso ao mundo web enquanto se penteia ou veste.

A ideia não é nova, o que conta aqui é a execução, explica-nos Herlander Santos, responsável pela equipa de desenvolvimento móvel da Altice LABS: criámos “um espelho interativo que permite interagir com toda a web através de voz e gestos. A ideia aqui era ter um espelho normal, totalmente funcional, mas que disso dê também conteúdos do YouTube, Meo Music, informação da própria agenda, o tempo, jornais...”.

O facto de o espelho funcionar através de gestos e de voz é o grande ponte forte do protótipo, concebido pela Altice LABS em parceria com a Biselarte, 100% português, e que está estes dias em exposição no Techdays. Sem estas funções seria necessário criar um teclado virtual e isso complicaria muito as coisas, explica Hugo Dias, responsável de aplicações interativas para televisão da Altice LABS.

O espelho funciona com uma ligação doméstica, wireless, comum nas casas. Já a sua localização divide opiniões entre os dois membros da Altice LABS que apresentaram o Smart Mirror ao SAPO 24. Herlander imagina-o num hall de entrada, Hugo pensa que o uso mais comum poderá ser na casa de banho. Neste último contexto surge um problema, o da humidade, mas Hugo diz confiar na experiência da Biselarte, que faz a parte da concepção tradicional do espelho, para contornar o problema. “Eles já produzem espelhos há bastante tempo e de certeza que eles também têm soluções técnicas para isso”, diz.

Logo no primeiro dia este espelho inteligente chamou a atenção da comitiva que tinha atendido à abertura do Techdays e que ficou alguns minutos a ouvir a explicação sobre o protótipo. “Na quinta-feira conseguimos reunir aqui o Comissário Europeu Carlos Moedas, a nossa CEO da Altice, o CTO. Eles acharam super interessante. Até imaginámos uma nova versão em que, além da voz e do gesto, se podia utilizar o pensamento.”, conta-nos Herlander em tom de brincadeira.

A versão presente no Parque de Exposições de Aveiro inclui apenas algumas aplicações e widgets - como o SAPO Tempo, a Banca de Jornais do SAPO e o YouTube -, mas o futuro passa por incluir aplicações mais pessoais e personalizáveis, em ligação com o smartphone dos utilizadores. Tal pode ir desde a agenda, a canais de notícias - utilizando streams do Meo Go -, a informações de trânsito e a lista das compras, com o espelho lá de casa a lembrar o utilizador de comprar este ou aquele item antes de sair. “O céu é o limite”, diz Hugo enquanto explica que também se está a pensar criar uma aplicação para telemóvel, própria, que sintonize com o espelho para tirar assim usufruto máximo de dois aparelhos inteligentes.

“Tem de ser possível aceder aos assistentes webs. O espelho não pode ser um objeto isolado que não percebe as outras identidades inteligentes que existem hoje”, observa responsável pela equipa de desenvolvimento móvel.

Para já não existe data de lançamento, nem Hugo e Herlander se atrevem a prever uma, dizem-nos em coro. “A receptividade foi boa, as pessoas veem e adoram. Esta experiência, este objeto funciona, acho que as pessoas estão prontas a usar isto”, dizem. Sobre o preço dizem o mesmo, não fazem previsões, mas adivinham zeros à direita que o podem tornar menos acessível a todos os bolsos. “Mais isso é uma questão de produção”, diz Herlander. O que ambos dizem, com toda a segurança, é que este “é um projeto demasiado interessante para ficar como protótipo”.