Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Segundo o relações públicas da GNR/Porto, António Ferreira, o mandado de detenção para cumprir 13 meses de prisão por condução sem carta foi emitido a 20 de janeiro, pelo Tribunal de Penafiel.

Um ciclista de 35 anos foi atropelado mortalmente hoje de manhã, em Valadares, por uma viatura que se “pôs em fuga depois de desobedecer a uma ordem de paragem da GNR, em Gulpilhares”, esclareceu António Ferreira, acrescentando que o condutor abandonou depois do acidente a viatura, fugiu a pé mas acabou por ser detido.

“De acordo com as diligências já feitas, é possível perceber que o homem, que não tem habilitação legal para conduzir, fugiu por existir um mandado de detenção de 13 meses de prisão”, exatamente por “um crime de condução sem carta”, disse.

O detido é contudo já conhecido da GNR, uma vez que, em maio de 2016, após o furto de uma viatura, em Baltar, Paredes, “duas patrulhas foram em seu alcance, uma de cada lado, e o carro em que seguia abalroou uma viatura da GNR”, contou.

O responsável afirmou ainda ter a expectativa de que o suspeito vá ser presente na sexta-feira às autoridades judiciais para primeiro interrogatório pelos alegados crimes que terá cometido hoje (homicídio por negligência, fuga à GNR e condução sem carta), sendo então depois conduzido ao estabelecimento prisional para cumprir os 13 meses de prisão.

Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto, o atropelamento mortal ocorreu cerca das 11:10, na avenida Gago Coutinho, e no local estiveram elementos dos Bombeiros Voluntários de Valadares, a PSP e o INEM.