Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Jonathan Tran, de 26 anos, saltou a primeira vedação, com um metro e meio de altura, quando passavam 21 minutos das 23:00 (hora local). Já dentro do perímetro de segurança, transpôs uma barreira de dois metros e meio e outra de quase um metro.

Pelas 23:38, quase 17 minutos depois de entrar, foi intercetado pelos Serviços Secretos, que não apresentaram qualquer explicação para o tempo que passou até à sua detenção.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, estava na Casa Branca no momento da intrusão.

Tran tinha consigo uma mochila com duas latas de aerossol para autodefesa, um livro de Trump, o seu passaporte norte-americano e um computador onde foi encontrada uma carta dirigida ao Presidente com alegada informação sobre piratas informáticos russos.

Quando foi detido, disse “Sou um amigo do Presidente”, de acordo com os agentes.

Um juiz autorizou a liberdade condicional de Tran, sob condição de que permaneça em casa dos seus pais na Califórnia, enquanto aguarda julgamento — se for considerado culpado pode ser condenado até dez anos de prisão.

Após o incidente, Trump disse que os agentes dos Serviços Secretos fizeram “um grande trabalho” ao intercetarem Tran, “uma pessoa com problemas”.