Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Omsin, de 25 anos, foi enviada no início de março para uma clínica de Banguecoque, onde os veterinários detetaram cinco quilos de moedas no seu aparelho digestivo. O animal passou sete horas numa mesa de operação.

A história deu a volta ao mundo e a Tailândia acompanhou com emoção o regresso da tartaruga para a água depois da cirurgia. Mas o estado de saúde do animal piorou repentinamente há dois dias os veterinários descobriram que estava com o sangue envenenado.

"Às 10h10 foi-se em paz", afirmou Nantarika Chansue, a veterinária responsável pelo animal, citada pela AFP. "Era minha amiga, minha professora e minha paciente", disse, sem conter as lágrimas.

A tartaruga passou duas décadas num pequeno parque público da província de Chonburi, onde os visitantes atiravam moedas, seguindo uma tradição tailandesa.

"Uma tartaruga pode viver até 80 anos e há a superstição de que atirar moedas fará com que o interessado tenha uma vida mais longa", explica Rungroj Thanawongnuvej, docente da Faculdade de Veterinária de Chulalongkorn.