• O tom cinza de Tondela
    O tom cinza de Tondela
    Sou duma terra ardida, é o que sou. A minha proveniência é essa, um sítio que ardeu e um país que vem ardendo – este é o gerúndio que me entristece e enfurece na mesma medida. Entristece-me ser natural duma terra ardida, enfurece-me quando garantem q
  • Catalunha encravada
    Catalunha encravada
    Olá. Sou a pessoa que aqui escreve todas as semanas com excepção da transacta. O interregno forçado, logo durante o rescaldo de autárquicas portuguesas e independanças catalãs, deveu-se a eu ter sido abalroado por um vírus insuportável, uma daquelas
  • Amor patológico
    Amor patológico
    Quando me preparava para escrever um texto sobre as autárquicas, eis que a notícia duma morte me puxou violentamente a atenção. Faleceu um nonagenário notável, que não se importava de ser filmado em roupão, e que era famoso pelo casarão onde acolhia
  • Espinha enthalada
    Espinha enthalada
    Thales de Menezes é o nome a fixar. Ou então, o nome a esquecer – desde que seja aquele esquecimento rancoroso do despeito, de alguém que não merece ocupar a nossa memória (escolhemos ignorá-lo quando nos lembramos de o detestar).
  • Profissão: Duro
    Profissão: Duro
    Estamos em Setembro, o mês em que aqui me estreei. O “aqui” da última frase tanto pode ser o SAPO 24 como o plano de existência onde nos encontramos. Vim desaguar a estas crónicas semanais em Setembro de 2016, mas já me tinha afogado de vida num Sete
  • Fútilbol
    Fútilbol
    Vou falar de futebol. Aqueles que estão saturados de tal assunto, que acham desperdiçado o tempo a falar dele, ou que se enfurecem com a importância desmedida que lhe é atribuída, podem ficar por aqui mais um bocadinho; não vou contrariar-vos. Eu, qu
  • Fazer figas pelos punhos da Justiça
    Fazer figas pelos punhos da Justiça
    Já passaram 4 dias, e o assunto parece ter esmorecido com naturalidade. Talvez a matéria mais presente em relação ao “combate do século” (que em Portugal foi visto em directo por volta das 5 da manhã de domigo) esteja nas horas de sono que muitos ain
  • América proibida, Portugal furibundo
    América proibida, Portugal furibundo
    Tirando um par de vezes em que escrevi aqui sobre José Sócrates, é raro vir espreitar os comentários que os leitores deixam aos textos. A minha abstenção não se deve a sobranceria nem cobardia, só mesmo preguiça. No caso dos artigos em que visei o ex
  • Muros nas fronteiras e avenidas para o Mal
    Muros nas fronteiras e avenidas para o Mal
    2017 não é nada. É só um número vago, mesmo que seja recordista - o maior numeral de todos os Annis Domini. É o ano mais contemporâneo, mas com cada vez menos características para que lhe chamemos avançado. Em 2017 somos actuais, sem que isso nos imp
  • Coisas elevadas como o talento
    Coisas elevadas como o talento
    Não acredito na reencarnação. De todo. Nem acredito na possibilidade de falarmos com os que já morreram. De todo. Mas acredito no uso estilístico da contradição, e é por isso que vou começar a relatar uma espécie de reencarnação, para depois me esvai
  • “É a estupidez, estúpido!”
    “É a estupidez, estúpido!”
    “Burro não é o que não sabe, é o que não quer saber”. Tenho pouca certeza se estou a citar correctamente o provérbio, mas fi-lo com um não-saber honesto - típico daqueles que, segundo o mesmo provérbio, não são os verdadeiros burros. Este ditado popu
  • Sem moderação
    Sem moderação
    Certo amigo que escrevia crónicas quinzenais revelou-me a sua angústia. Havia um nervoso (em nada miudinho) que o atacava na semana anterior à entrega dos artigos de opinião. Encontrar um tema que o determinasse a escrever era motivo de insónias e fa
  • Um olho nos burros, outro na cigana
    Um olho nos burros, outro na cigana
    Já vi tantas vezes o filme “A Desaparecida” do John Ford, e sei-o tão ao pormenor, que tenho de conter-me para não estar constantemente a citá-lo, ou usá-lo em analogias, ou torná-lo introdução para os assuntos em que reflicto. Como podem perceber, a
  • Belisquem-me
    Belisquem-me
    Donald Trump Junior vai ser representado por um advogado da máfia nas alegações de interferência russa no processo eleitoral americano. Não foi fácil redigir a última frase mantendo a seriedade que o assunto exige. Parece ficção, daquela exagerada e
  • Não nos faltes, silly season
    Não nos faltes, silly season
    2017 é o ano em que os portugueses chegam a Julho a precisar mais duma silly season do que de férias. O ano em que o ambiente iodado da praia, o ar puro do campo, são menos salutares que telejornais a abrirem com ninharias: festas do bivalve ou escal
  • 1, 2, 3, teste
    1, 2, 3, teste
    Anuncio para hoje uma intervenção tripartida, entre curtas justificações e desabafos. Há duas semanas escrevi aqui, e mal – não posso deixar passar em claro. Na semana passada não escrevi aqui, e menos mal – deixei passar em claro; não posso. Na próx
  • Santo António não se acabou
    Santo António não se acabou
    Há 33 anos e 1 dia morria o António Variações. Lembro-me como se fosse anteontem. Eu era bem pequenino, mas o Variações era bem grande; impensável  esquecer-lhe a vida, impossível esquecer-lhe a morte. Por muito que Portugal ainda fosse um país de me
  • Decadência
    Decadência
    Algures em Lisboa há um bar de aspecto tão clandestino e decadente que, sendo certa a decadência, é provável a clandestinidade. Por isso abster-me-ei de lhe referir o nome – mas não para adensar qualquer mistério. De mistérios e encantos precisa pouc
  • A nova vaga (ideia) da música portuguesa
    A nova vaga (ideia) da música portuguesa
    Fui ao Prós e Contras. Esta informação não parecerá contundente ao estimado leitor, mas só porque o estimado leitor ou nunca foi ao Prós e Contras ou, quando lá esteve, sabia o que andava a fazer. Eu tinha vaga ideia daquilo a que ia, agora tenho só
  • Licença para matar caducada
    Licença para matar caducada
    Proponho o seguinte exercício: fechem os olhos e imaginem que o Brad Pitt está aí à vossa frente em tronco nu. Não se apoquentem que não há um pingo de perversão nisto que sugiro, e o objectivo até é, digamos que, científico. A segunda parte desta ex
  • Dos grandes
    Dos grandes
    De que se faz a História de Portugal? Num país, ora à beira-mar plantado, ora à deriva (pelos vistos, nem para lugares-comuns há consenso) onde é que se faz História hoje em dia? É neste momento particular, de optimismo e celebrações, que me interess
  • É um programa sobre nada
    É um programa sobre nada
    Não sei forjar assinaturas — exceptuando a minha própria (sempre com ar falsificado quando me colocam a pressão de escrevê-la “como no B.I.”) — mas sou mestre a forjar indignações. Este parágrafo é o duma indignação forjada, uma irritação fácil de de
  • Monólogo contra o monólito
    Monólogo contra o monólito
    Não sei se os blogues ainda são relevantes, ou se foram mortos pelo Facebook (da mesma forma que o video matou a radio star, como na canção dos Buggles), mas lembro-me que há uma década ainda eram “a cena”. Fui um blogger desconhecido, embora com o p
  • 25 de Abril nunca mais
    25 de Abril nunca mais
    Hoje estamos no rescaldo do 25 de Abril, tanto o hoje específico do 26 de Abril de 2017 como o Hoje do Presente, o hoje que foram todos os dias dos últimos 43 anos.

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.