As medidas em causa, precisa o comunicado do Conselho de Ministros, “aplicam-se aos procedimentos destinados à formação de contratos de empreitada de obras públicas, de locação ou aquisição de bens móveis e de aquisição de serviços relacionados com os danos causados pelo furacão”.

Além deste decreto-lei, o Governo aprovou hoje também uma transferência de até 20 milhões de euros para o Orçamento da Região Autónoma dos Açores.

Tal montante, é indicado, serve o intuito de “fazer face ao restabelecimento do abastecimento marítimo de mercadorias e combustível da ilha das Flores e das infraestruturas e equipamentos essenciais à vida das populações afetadas, nomeadamente nas infraestruturas portuárias e de apoio portuário da região”.

É ainda estabelecido “um reforço dessa transferência, até 20 milhões de euros, no ano económico de 2020″.

Estas duas medidas “visam a reposição da normalidade” nos Açores na sequência dos danos causados pelo furacão.

Durante a passagem do “Lorenzo” pelos Açores, em outubro, foram registadas 255 ocorrências e 53 pessoas tiveram de ser realojadas.

O furacão causou a destruição total do porto das Lajes das Flores, estimando-se que o prejuízo registado possa ascender, neste caso em concreto, a mais de 190 milhões de euros.

No total, o mau tempo provocou prejuízos de cerca de 330 milhões de euros no arquipélago, segundo o Governo Regional dos Açores.

O presidente do executivo regional, Vasco Cordeiro, reiterou na quarta-feira apreço pela solidariedade demonstrada pelo Governo da República, que assumirá financeiramente um total de 85% dos estragos causados.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.