Numa nota na sua página na Internet, a Cáritas Portuguesa lembra que Acácio Catarino “deixa um contributo para o pensamento social português, vincado nas diferentes responsabilidades que foi assumindo ao longo da sua vida” e destaca a “marca que deixa na história da Cáritas em Portugal”, de que foi presidente entre 1982 e 1999.

Em reação à morte de Acácio Catarino, o presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana e bispo de Santarém, José Traquina, disse, citado pela agência Ecclesia, que “faleceu um homem bom, que nos deixa um grande testemunho da sua dedicação à causa do bem comum, da justiça social”.

“O empenho na Cáritas Portuguesa foi uma das demonstrações do seu empenho inteiramente entregue ao bem comum da sociedade, no desenvolvimento dos vários projetos”, acrescentou o prelado.

Acácio Catarino foi consultor da Casa Civil do Presidente da República Jorge Sampaio, entre 2001 e 2006, foi docente universitário e presidente do Instituto do Emprego e Formação Profissional.

Membro da Comissão Nacional Justiça e Paz, de organismos das IPSS e das Misericórdias, Acácio Catarino foi presidente do Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado, presidente da Comissão Coordenadora Nacional das Semanas Sociais e presidente da mesa da assembleia-geral da Fundação João XXXIII (Ribamar, concelho da Lourinhã), entre várias instituições sem fins lucrativos e grupos de trabalho de âmbito social e cooperativo, informou a Ecclesia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.