"Ter a expetativa de que somos todos iguais em direitos e deveres, do ponto de vista da lei é ótimo, do ponto de vista do ativismo político é correto (...), mas do ponto de vista da política real, da política de Estado, isso não vai acontecer", disse Fernando Jorge Cardoso, do Centro de Estudos Internacionais do ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa.

Em entrevista à Lusa a propósito do 20.º aniversário da CPLP, que se assinala no domingo, o investigador lembrou que a existência de Estados mais poderosos do que outros "é a realidade do mundo, não é só a realidade da CPLP".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.