Segundo o Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde (INECV), no terceiro trimestre de 2015 a hotelaria do país alojou 129.954 hóspedes que originaram 908.506 dormidas, correspondendo a acréscimos de 14,9% face ao trimestre homólogo.

Em termos absolutos, adianta o INECV, entraram no país mais 16.808 turistas que originaram um acréscimo de 117.560 dormidas.

O Reino Unido foi o principal país de proveniência de turistas, cerca de 27 por cento do total de entradas, tendo sido também os ingleses que permaneceram mais tempo em Cabo Verde, em média 9,6 noites.

Os portugueses representam o segundo maior grupo de turistas e foram responsáveis por 15,6% das entradas, seguindo-se os alemães (12,6%), os cabo-verdianos residentes (10,1%) e os turistas da Bélgica e Holanda (7,3% no conjunto).

Relativamente às dormidas, o Reino Unido ocupa também o primeiro lugar com 35,8% do total, seguido da Alemanha, Portugal e Bélgica-Holanda, com 15,5%, 13,3% e 8,4%, respetivamente.

A ilha da Boavista foi a mais procurada pelos turistas, representando cerca de 46,3% das dormidas nos hotéis.

A maioria dos turistas provenientes do Reino Unido preferiu como destinos as ilhas do Sal e da Boavista representando, respetivamente 50,8% e 48,5% das dormidas, e escolheram como local de acolhimento os hotéis, 99,8%.

As dormidas dos residentes em Portugal distribuíram-se principalmente pelas ilhas do Sal (47,1%) e da Boavista (40,9%).

Os hotéis foram o tipo de alojamento mais procurado pelos portugueses, representando cerca de 96,6%.

Os alemães escolheram como destino principal a ilha da Boavista (60,3%) e a do Sal (37,2%) para pernoitar. Preferiram, também, os hotéis como o principal meio de alojamento, representando 96,6%.

Apesar do aumento da entrada de turistas, durante o terceiro trimestre de 2015, em média, a taxa de ocupação dos alojamentos foi menor, situando-se nos 48%, contra os 50% registados no mesmo trimestre de 2014.

As ilhas da Boa Vista e do Sal registaram as maiores taxas de ocupação, com 83% e 44%, respetivamente.

Os hotéis foram os estabelecimentos com maior taxa de ocupação, 57%.

Seguem-se os aldeamentos turísticos e as pousadas, com igual percentagem (18%) e as residenciais com 17%.

Analisando o período de janeiro a setembro de 2015, os estabelecimentos hoteleiros cabo-verdianos registaram 408.842 hóspedes e cerca de 2,7 milhões de dormidas, que se traduzem em crescimentos de 5,8% e 7,1%, respetivamente, em relação ao mesmo período do ano anterior.

CFF // APN

Lusa/Fim

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.