As contas atacadas tiveram o conteúdo de apoio ao EI substituído por mensagens de apoio ao orgulho gay, assim como links para pornografia gay. A ação foi levada a cabo por um elemento dos “Anonymous” que se intitula WauchulaGhost, que já tinha começado a hackear contas de jihadistas há alguns meses.

O ataque acontece depois do atentado em Orlando, que vitimou 49 pessoas no bar Pulse e deixou outras 53 feridas.

“O EI tem espalhado e comemorado o ataque. Então decidi que ia defender aqueles que morreram. A perda de vidas inocentes não será tolerada”, explicou à Newsweek.

O pirata informático afirma ter hackeado mais de 200 contas no Twitter pertencentes a apoiantes do EI, apesar de muitas já terem sido desativadas pela própria rede social. O elemento do grupo “Anonymous” afirmou ainda que a campanha continua com a ajuda de outros dois elementos do grupo.

O conteúdo do ataque contém mensagens como “sou gay e orgulho-me disso” e “assumido e orgulhoso”. Há também um link de acesso a um site pornográfico, embora esse conteúdo não tenha imagens explícitas por respeito ao Islão. “Uma coisa que quero dizer é que não estamos a usar imagens explícitas e o nosso objetivo não é ofender os muçulmanos”, explicou WauchulaGhost, acrescentando que “as nossas ações são dirigidas aos jihadistas extremistas. Muitos elementos nossos (do grupo) são muçulmanos e nós respeitamos todas as religiões que não ceifam vidas inocentes”.

Recorde-se que o EI tem utilizado as redes sociais como forma de recrutamento de apoiantes e como forma de espalhar a propaganda do grupo. O Twitter confirmou que desde 2015 já foram encerradas mais de 125.000 contas que promoviam o extremismo.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.