Segundo a sondagem divulgada pela RTP às 20:00 horas de Lisboa (19:00 nos Açores), desenvolvida pela Universidade Católica, a taxa de abstenção ficará entre os 45% e os 50% – um dos valores mais altos de sempre, podendo superar o máximo atingido há oito anos.

A projeção divulgada pela TVI aponta para o mesmo intervalo de valores, assim como a sondagem feita pela Metris GfK, pelo Instituto de Ciências Sociais (ICS) e pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE) para a SIC e o Expresso.

Nas últimas eleições autárquicas, realizadas em 1 de outubro de 2017, a abstenção foi de 45,03% – a segunda percentagem mais alta em eleições locais.

O recorde foi atingido nas autárquicas de 2013, nas quais se registou uma abstenção de 47,40%.

Mesas de voto encerraram às 20h00 no continente e na Madeira

As urnas para as eleições autárquicas fecharam hoje às 20:00 em todo o território continental e na Madeira, encerrando nos Açores uma hora depois, devido à diferença horária.

Até às 16:00, a afluência às urnas situava-se em 42,34%, abaixo do valor registado há quatro anos, segundo dados da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna (MAI).

Comparando com as últimas eleições autárquicas, que se realizaram em 01 de outubro de 2017, a afluência às urnas baixou: há quatro anos, até à mesma hora, tinham votado 44,39% dos eleitores.

Segundo os números divulgados pelo MAI, até às 12:00, 20,94% dos eleitores exerceram o seu direito de voto, ou seja, mais de 1,86 milhões de pessoas, mas também abaixo dos 22% registados em 2017.

Esta é a 13.ª vez que os portugueses elegem os seus autarcas em 47 anos de democracia.

Mais de 9,3 milhões de eleitores foram hoje chamados a eleger os dirigentes de quase quatro mil autarquias locais.

Portugal tem 9.323.688 eleitores inscritos, menos do que nas autárquicas anteriores, em 2017, em que estavam registados pouco mais de 9,4 milhões.

De entre os inscritos, 29.814 são cidadãos estrangeiros, 13.924 dos quais naturais de Estados-membros da União Europeia e 15.890 de países terceiros, nomeadamente Cabo Verde, Brasil, Reino Unido e Venezuela.

A estas eleições apresentaram-se cerca de 12.370 listas candidatas, das quais cerca de 1.035 são de grupos de cidadãos eleitores (GCE), segundo uma estimativa da Comissão Nacional de Eleições (CNE).

O total das mesas eleitorais foi de 13.821, o que correspondeu a uma média de 675 eleitores por mesa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.