Numa resposta escrita enviada à Lusa, a autarquia afirma que “houve atrasos nos procedimentos de fornecimento” de contentores, acrescentando que as entregas deverão ser regularizadas, sem, no entanto, adiantar datas.

Em declarações à Lusa, uma moradora de um prédio na freguesia de Benfica relatou que está desde novembro à espera de um contentor de lixo doméstico para o seu condomínio, depois de o anterior ter desaparecido.

Nessa altura, contou Rosa Mendes, os serviços urbanos do município disseram-lhe que seria agendada uma data, pedindo-lhe que aguardasse.

No entanto, “o tempo foi passando” e a moradora voltou a insistir este ano, ao que lhe responderam que “não tinham material para entrega”.

O executivo municipal vai discutir na próxima reunião pública de câmara, na quarta-feira, uma proposta de lançamento de um concurso público de mais de dois milhões de euros para a aquisição de contentores para deposição de resíduos urbanos.

Fonte oficial da autarquia disse à Lusa que este concurso público internacional durará entre seis meses a um ano.

A proposta, assinada pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina (PS), pretende “autorizar a decisão de contratar a realização da despesa, através de um procedimento por concurso público, com publicação no Jornal Oficial da União Europeia, para aquisição de contentores para deposição de resíduos urbanos, pelo período de três anos, limitado ao valor máximo de 2.604.500 euros”, sem IVA.

Segundo o documento, os encargos financeiros serão repartidos por quatro anos.

Em 2017, o município assumirá uma despesa de cerca de 247 mil euros e, nos anos seguintes, o valor varia entre cerca de 711 e 873 mil euros.

Medina refere ainda na proposta que “a quantidade de contentores deve ser a necessária e a suficiente para permitir o encaminhamento dos resíduos para cada fileira e para garantir que a totalidade dos resíduos é devidamente acondicionada no interior de equipamentos próprios, obstando à criação de focos de insalubridade”.

Desde o verão que muitos munícipes se têm queixado de problemas relacionados com a higiene urbana em vários pontos do concelho lisboeta.

A câmara municipal criou recentemente um grupo na rede social ‘Facebook’, chamado “Lisboa – Higiene Urbana”, onde os munícipes têm denunciado problemas relacionados com lixo em redor dos ecopontos, através de fotografias, e a autarquia responde quando o local é limpo.

A autarquia lisboeta aprovou em janeiro as alterações ao regulamento de limpeza urbana, que prevê medidas como novas contratações, proibição do uso plástico não reciclável em espaços públicos e o agravamento de coimas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.