Catarina Martins subiu hoje ao púlpito do teatro Capitólio, o quartel-general do BE para as eleições autárquicas, tendo feito apenas “uma declaração preliminar” porque esta será “uma noite longa para a contagem dos votos”, numa altura em que os resultados no concelho de Lisboa são ainda uma incógnita e há projeções que dão empates técnicos entre Fernando Medina e Carlos Moedas.

“Amanhã mesmo [segunda-feira], o Bloco de Esquerda reúne a sua direção nacional e eu terei oportunidade de conversar também com a comunicação social”, remeteu Catarina Martins, reiterando que o BE partiu para as autárquicas “com muita humildade”.

Questionada sobre a disponibilidade para fazer acordos na Câmara de Lisboa, a líder do BE foi perentória ao reiterar que não negoceia com a direita.

“Toda a gente conhece o Bloco de Esquerda. Não negociamos com a direita. Quando negociamos, negociamos em nome da vida concreta das pessoas. Habitação à cabeça. Habitação, habitação, habitação. Não nos cansamos de o dizer”, respondeu.

Catarina Martins tinha começado por reiterar que o BE “tem toda a disponibilidade para continuar a ser uma solução na Câmara de Lisboa”, olhando para aquilo que foram as conquistas ao longo deste mandato em que tiveram um acordo pós-eleitoral com Fernando Medina e, sobretudo, “para tudo o que falta fazer na habitação, que é um dos problemas da cidade”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.