As projeções dos resultados eleitorais divulgadas por RTP, SIC, TVI e CMTV dão a vitória ao PS nas eleições legislativas de hoje, com entre 36,6% e 42,6% dos votos, seguindo-se o PSD, com entre 26,7% e 32,7%.

Numa primeira reação a estas projeções, Pedro Pinto ressalvou que ainda era cedo para avaliar resultados, afirmando que seria “uma noite longa”.

Ainda assim, o secretário-geral do Chega disse que era possível retirar já uma conclusão: “Qualquer uma destas projeções dá um Chega consolidado, o Chega num terceiro lugar e também esperamos que isso aconteça”.

Perante estas projeções, Pedro Pinto disse também o objetivo do partido, de se consolidar como terceira força política, será cumprido e que, por isso, o Chega fará necessariamente parte de uma solução governativa à direita.

“Não haverá Governo de direita em Portugal sem o Chega”, afirmou, relativamente às projeções para o partido, que apontam para um resultado entre 3,8% e 8,5%.

Pedro Pinto foi o primeiro a reagir em nome do Chega às projeções das televisões, tendo falado minutos antes de chegar o presidente, André Ventura, e perante uma sala ainda essencialmente ocupada por jornalistas e pouco mais de uma dezena de militantes.

O presidente do Chega, André Ventura, manifestou-se depois satisfeito com os resultados do partido apontados pelas primeiras projeções das televisões, mas lamentou a vitória do PS, que disse ser má para o país.

“Positivo para o Chega, mau para o país se António Costa voltar a ser primeiro-ministro. Vamos aguardar a evolução das votações”, disse André Ventura.

O presidente do Chega, que chegou ao Hotel Marriot, em Lisboa, onde o partido acompanha a noite eleitoral, pelas 20:30, saiu do carro de sorriso no rosto e, mostrando-se cauteloso, começou por sublinhar os resultados apontados pelas primeiras projeções das televisões.

“Hoje podíamos ficar felizes com o crescimento do Chega, e ficamos porque as pessoas perceberam a mensagem”, disse André Ventura, apontando, por outro lado, que a vitória do PS como “um dado menos positivo”

“Aparentemente, António Costa renovará uma maioria para poder governar. Portanto, eu diria que temos uma boa notícia e uma má notícia”, explicou.

André Ventura, que chegou ao “quartel-general” do partido para esta noite depois de ter estado na missa, disse também que ainda não teve oportunidade de avaliar as projeções divulgadas pelas televisões pelas 20:00, e que iria reunir com a sua equipa para esse trabalho, estando previstas declarações depois das 22:00.

Para já, a sala onde vai decorrer a noite eleitoral é ocupada essencialmente por jornalistas, não havendo ainda sinal de militantes do partido no interior.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.