Desde 1959, quando chegou ao poder através de um golpe de Estado para depor o ditador Fulgencio Batista, Fidel Castro enfrentou 11 presidentes dos Estados Unidos durante 49 anos, de acordo com um resumo dos momentos mais marcantes feito pela AFP.

O histórico ‘Comandante’ cubano morreu na sexta-feira à noite, com 90 anos.

- Dwight Eisenhower (1953-1961): Republicano. Forneceu as armas e apoio logístico ao ditador Fulgencio Batista contra a guerrilha liderada por Fidel Castro. Rompeu as relações com Cuba em janeiro de 1961 e preparou a tentativa de invasão da Baía dos Porcos, no sul da ilha, que acabaria por fracassar.

- John F. Kennedy (1961-1963): Democrata. Deu a ‘luz verde’ para a operação militar, em abril de 1961. É um dos principais intervenientes na crisse dos mísseis, em outubro de 1962. Decreta o embargo económico à ilha. Na altura em que foi assassinado, estava a tentar negociar com Castro.

- Lyndon Johnson (1963-1969): Democrata. Reforça o embargo das amras e tentar impedir o comércio de níquel com o bloco soviético. Aprova o plano da inteligência norte-americana (CIA) contra o regime de Castro. Sob a sua Presidência, grupos guerrilheiros e anticastrenses começam a operar em Cuba.

- Richard Nixon (1969-1974): Republicano. Reforça as ações contra o regime de Castro, como o rapto de pescadores. Faz também um bloqueio às exportações cubanas de níquel.

- Gerald Ford (1974-1977): Republicano. Durante o seu mandato, os ataques contra embaixadas e interesses cubanas no estrangeiro multiplicam-se. Um atentado contra um avião da companhia aérea cubana a sair de Barbados mata 73 pessoas. Ford autoriza a primeira viagem de dirigentes de empresas norte-americanas a Cuba e a flexibilização do embargo e das relações diplomáticas.

- Jimmy Carter (1977-1981): Democrata. Abranda o embargo e são abertas secções dos Estados Unidos e de Cuba nas capitais dos países, e começam as primeiras visitas à ilha dos cubanos radicados nos EUA. Assinam-se pactos sobre a delimitação das zonas marítimas económicas, mas em 1980 o epidósio do porto de Mariel termina o processo de aproximação. A presença de caças de fabrico soviético MiG em Cuba abre uma nova crise diplomática. Visita a ilha por duas ocasiões depois de deixar a Casa Branca.

- Ronald Reagan (1981-1989): Republicano. Reforça as medidas hostis ao regime e tenta flexibilizar o embargo. A Fundação Nacional Cubano-Americana, o principal grupo de exilados, é criada e a rádio e televisão Marti começa a emitir para a ilha. O primeiro acordo migratório é assinado.

- George Bush (1989-1993): Republicano. Endurece o embargo com a Lei Torricelli, aproveitando a queda do bloco soviético. Várias filiais de empresas norte-americanas que operam no estrangeiro são proibidas de fazer negócios na ilha.

- Bill Clinton (1993-2000): Dedmocrata. Aplica a Lei Torricelli e aprova a Lei Helms-Burton para reforçar o embargo. Tem de lidar com a crise dos 36 mil cubanos que em 1994, em barcos de pesca, tentaram chegar à costa norte-americana. Assina um acordo de migração a apoia as atividade anti-Castro.

- George W. Bush (2001-2008): Republicano. Aumenta o apoio financeiro aos grupos opositores de Fidel Castro e reforça o embargo, limitando as viagens e o envio de dinheiro para Cuba. Permite o comércio de produtos alimentares, embora com restrições.

- Barack Obama (2009-2017): Democrata. Foi o primeiro Presidente norte-americano que já não viu Fidel Castro no poder. Opera no final de 2014 uma reaproximação histórica depois de meio século de hostilidades e retoma as relações diplomáticas com a ilha em 2015.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.