O anterior Rt nacional, divulgado na segunda-feira, era de 0,98. Quanto ao mesmo indicador só para o continente, subiu de 1 para 1,02, de acordo com o boletim conjunto da Direção-Geral da Saúde e do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA).

Em relação à incidência nacional, tinha descido de 62,9 para 60,9 na segunda-feira passada, mas hoje aumentou para 64,3.

No continente, a incidência estava também em descida, situando-se na segunda-feira em 60,9 casos, mas hoje há um aumento para 62,5.

O índice de transmissibilidade do SARS-CoV-2 tem vindo a aumentar desde meados de fevereiro, sendo mais elevado na região do Algarve, onde está em 1,19, de acordo com o primeiro relatório de monitorização das “linhas vermelhas” divulgado na sexta-feira.

Este indicador e a incidência são os critérios definidos pelo Governo para a avaliação contínua do processo de desconfinamento iniciado em 15 de março.

Em 11 de março, na apresentação do plano de desconfinamento, o primeiro-ministro, António Costa, avisou que as medidas da reabertura serão revistas sempre que Portugal ultrapassar os “120 novos casos por dia por 100 mil habitantes a 14 dias” ou sempre que o Rt - o número médio de casos secundários que resultam de um caso infetado pelo vírus - ultrapasse 1.

Os dez concelhos do país com mais incidência de casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias são Machico (500), Moura (474), Rio Maior (334), Odemira (316), Portimão (308), Carregal do Sal (302), Ribeira de Pena (283), Ribeira Brava (225), Vila do Bispo (213) e Marinha Grande (203).

Em Portugal já foram administradas 1.907.188 doses de vacina contra a covid-19, 1.346.317 primeiras doses e 560.871 segundas doses.

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 663 casos confirmados de infeção pelo SARS-CoV-2, com o número de internados inferior a 500 pela primeira vez em mais de seis meses, segundo a Direção-Geral da Saúde.

O número de pessoas internadas, que atingiu o pico de 6.869 a 01 de fevereiro, tem vindo a descer desde então, contando-se agora 488, menos 16 do que na terça-feira, e a primeira vez desde 19 de setembro de 2020 que esse indicador é inferior a 500, segundo o boletim epidemiológico divulgado hoje.

De terça-feira para hoje, mais três pessoas foram para unidades de cuidados intensivos, onde estão agora 116 doentes com covid-19.

Nas últimas 24 horas registaram-se mais três mortes atribuídas à covid-19.

As autoridades de saúde têm hoje em vigilância 825.031 contactos, mais 945 do que na terça-feira, e nas últimas 24 horas foram dadas como recuperadas mais 757 pessoas, que totalizam 782.294 desde o início da pandemia.

Hoje há menos 97 casos ativos, que atingem 25.847.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.