Numa nota enviada à comunicação social, este partido defende “um plano de prevenção que evite uma segunda vaga do vírus e que não torne necessários novos constrangimentos na economia que o país não aguentará”.

O CDS considera “lastimável que ainda nada se saiba sobre as orientações de retoma de diversas atividades, que conciliem a recuperação económica com o cumprimento das responsabilidades individuais e coletivas de saúde pública”.

Na nota, assinada pelo presidente do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, o partido exige que o Governo “reforce a capacidade de resposta do SNS, publicando uma lista de credores do Estado, no sentido de acelerar os pagamentos em atraso a fornecedores”.

E ainda “um plano urgente de redução das listas de espera e de retoma das consultas presenciais de cuidados de saúde primários, desenhado em conjunto com a Ordem dos Médicos”.

O CDS quer que o Governo inste a Direção-Geral da Saúde a “emitir um plano de prevenção que contenha as orientações técnicas de boas práticas às várias atividades ainda à espera das mesmas e que corrija as discriminações gritantes ainda existentes”.

A covid-19 é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Portugal contabiliza pelo menos 1.819 mortos associados à covid-19 em 57.768 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, hoje divulgado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.