A força será liderada pela divisão de Investigações Criminais e pelo Gabinete de Terrorismo e Informações Financeiras (TFI, na sigla em inglês) do Departamento do Tesouro, segundo a agência espanhola EFE.

Yellen afirmou num comunicado que a luta contra o fluxo de fentanil para o país “é uma prioridade” para a qual o Departamento do Tesouro utilizará todos os instrumentos à sua disposição.

O fentanil é um potente opiáceo responsável por mais de 100 mil mortes por ano nos Estados Unidos, segundo o copresidente do TFI, Jim Lee.

A nova força, segundo o subsecretário do TFI, Brian Nelson, atuará de forma rápida e decisiva com especialistas de alto nível “para responder rapidamente às ameaças mais recentes”.

Aproveitará as competências e a experiência do Departamento do Tesouro para identificar e combater os crimes financeiros relacionados com esta droga, referiu.

Nelson disse também que a nova força promoverá os objetivos da administração do Presidente Joe Biden nesta matéria, tal como atacar a cadeia de abastecimento ou colaborar com o México nesta luta.

Também fará avançar o acordo entre Biden e o homólogo chinês, Xi Jinping, para retomar a cooperação bilateral em matéria de luta contra o narcotráfico.

O acordo, alcançado em novembro, incide em especial “na redução do fluxo de precursores químicos que alimentam o tráfico ilícito de fentanil e de drogas sintéticas”, segundo o comunicado do Departamento do Tesouro.

Ao alinhar estrategicamente as investigações e as informações dos principais intervenientes, a nova força irá “aumentar o impacto financeiro” das medidas já tomadas contra este comércio ilícito, acrescentou.

Desde que Biden assinou uma ordem executiva em dezembro de 2021 a autorizar sanções contra estrangeiros envolvidos no tráfico de fentanil, 250 já foram impostas a indivíduos e empresas, com um foco particular na cadeia de abastecimento.

Em novembro, Biden agradeceu às autoridades mexicanas pela detenção de “El Nini”, suspeito de tráfico de fentanil.

Biden e o homólogo mexicano, Andrés Manuel López Obrador, prometeram, durante uma reunião em 17 de novembro em São Francisco, cooperar mais estreitamente contra o tráfico de drogas e, em particular, o fentanil.

Este poderoso opiáceo sintético é responsável por dezenas de milhares de mortes todos os anos nos Estados Unidos.

A droga, fabricada a partir de produtos muitas vezes provenientes da China, é, segundo Washington, introduzida nos Estados Unidos por cartéis mexicanos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.