“Pilhagens não são manifestações. Atear fogo não é manifestação. Nada disso tem a ver com manifestações. É anarquia, ponto final”, destacou Joe Biden durante um discurso em Pittsburgh, no Estado da Pensilvânia, citado pela agência noticiosa AFP.

O antigo vice-presidente de Barack Obama, candidato democrata às eleições de 03 de novembro contra o atual presidente, o republicano Donald Trump, realçou que enquanto “as fogueiras estão a arder” o rival “acende as brasas em vez de lutar contra as chamas”.

“O Presidente há muito abandonou toda a liderança moral. (...) Ele não pode parar a violência porque durante anos a fomentou”, acusou.

“Donald Trump tem sido uma presença tóxica no nosso país há quatro anos”, data de sua eleição surpreendente, acrescentou o democrata, acusando o atual Presidente de desde então “envenenar os valores” dos Estados Unidos.

Para Joe Biden, o republicano “falhou em proteger a América” num momento de crises históricas, com mais de 180 mil mortos devido à pandemia de covid-19, que afetou fortemente a economia, e uma onde de protestos contra o racismo e a brutalidade policial, que por vezes aumenta.

“Agora está a tentar assustar a América. É a isso que se resume toda a sua campanha presidencial: medo”, realçou Biden.

O político veterano, de 77 anos, respondeu ainda a Donald Trump e a sua equipa, que descrevem Joe Biden como um fantoche nas mãos da extrema-esquerda.

“Vocês conhecem a minha história, a história da minha família. Então questionem-se: eu pareço um socialista radical com uma queda por criminosos?”, realçou, manifestando indignação.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.