As cartas foram enviadas para o banco ABN AMRO, em Amesterdão, e para as instalações da empresa japonesa de serviços informáticos Ricoh, em Kerkade (sul).

O remetente exigia uma quantia em ‘bitcoins’, a mais famosa moeda virtual, e ameaçava enviar outras cartas armadilhadas caso o pagamento não fosse feito, informou a agência de notícias holandesa ANP.

“Um funcionário (do ABN AMRO) quis abrir a carta, mas ouviu um apito e lançou-a para longe, tendo então o envelope registado uma leve detonação”, afirmou a polícia em comunicado.

“Felizmente, não houve feridos, mas as pessoas envolvidas estão obviamente muito chocadas”, referiu a Ricoh, também em comunicado.

A polícia holandesa já iniciou uma investigação sobre uma série de cartas contendo explosivos, enviadas em dezembro e em janeiro para empresas de três cidades da Holanda

A investigação visa determinar se existe uma ligação entre essas cartas e as que explodiram hoje.

[Notícia atualizada às 15h10]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.