A reabertura da Igreja - classificada como Monumento Nacional pela Direção Geral do Património Cultural - contou com o apoio do município de Santiago do Cacém e vai fazer parte de um roteiro que liga o centro histórico da cidade alentejana: da Igreja Matriz até à Capela das Almas, passando pela igreja da Misericórdia.

O pároco de Santiago do Cacém, Paulo do Carmo, explicou que a reabertura da Igreja - que durante dois anos só abria duas vezes por mês, por falta de funcionários - permite que “os crentes frequentem a igreja com maior regularidade e que os turistas visitem um dos espaços mais procurados no centro histórico da cidade, devido à sua riqueza patrimonial e religiosa”.

O projeto está a ser desenvolvido por 35 voluntários, a maioria crentes, que vão receber formação com o objetivo de “reabrir também a Igreja da Misericórdia e garantir o funcionamento da Igreja Matriz nos dias em que está fechada, aos domingos e segundas-feiras”, acrescentou o pároco.

Apesar de a Igreja já ter já recebido 1.200 visitantes após o mês de reabertura - na maioria, turistas estrangeiros - o Museu de Arte Sacra integrado na Igreja vai permanecer fechado ao público porque, segundo explicou o padre, “é necessário reestruturar a sua organização, criar uma comissão de gestão, tratar das obras de arte e fazer o inventário das peças de índole religioso”. A abertura do espaço está prevista até ao final do ano.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.