Entre as pessoas alvo de investigação, 26 mil foram libertadas mas “sob controle judicial”, afirmou ainda o ministro Bekir Bozdag, num discurso feito no sábado à noite em Afyonkarahisar, divulgado hoje de manhã pelos meios de comunicação social turcos.

Ancara acusa o ex-pastor Fethullah Gulen, exilado nos Estados Unidos, e os seus apoiantes de fomentar a tentativa de golpe de Estado em meados de julho, que provocou 270 mortos, 34 deles golpistas, mas o mesmo já negou qualquer envolvimento.

As autoridades turcas lançaram uma onda de purgas para remover quaisquer presumíveis apoiantes de Gulen, entre jornalistas, magistrados, polícia, guardas prisionais, exército, professores.

Ou seja, todos os setores estão a ser alvo destas purgas sem precedentes e criticadas pelo Ocidente.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.