Marcelo Rebelo de Sousa foi questionado pela comunicação social brasileira sobre a legislação portuguesa no fim de uma sessão comemorativa do centenário da travessia aérea do Atlântico Sul, no 1.º Distrito Naval, no centro da cidade do Rio de Janeiro.

Na resposta, o chefe de Estado realçou que Portugal já “permitiu até a mais uma geração adquirir a nacionalidade portuguesa” e que “também agora o brasileiro tem hipóteses mais amplas para poder ter a residência, poder ter os seus documentos formais e poder, por isso, circular na Europa”.

“Vai entrar em vigor o novo visto para procurar trabalho, muito, muito brevemente”, adiantou.

Depois, num discurso no consulado geral português, no Palácio de São Clemente, em Botafogo, perante convidados portugueses e brasileiros, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que se está a assistir nos últimos anos em Portugal à “primeira grande, para não dizer a única, vaga com esta dimensão brasileira”.

“Ultrapassa tudo o que podíamos ter imaginado e reforça o que é fundamental, que é a presença dos povos. As pátrias constroem-se pelas suas lideranças, mas sobretudo pelos seus povos”, considerou.

O chefe de Estado acrescentou que “são os povos que afirmam a sua presença na criação da riqueza, na distribuição da riqueza, no cultivar a língua que nos é comum” e que, “quando os povos decidem, estão a decidir pelas pátrias”.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, “o povo português decidiu, ao longo dos séculos, não apenas amar o Brasil, mas fazer do Brasil uma prioridade nacional”, e o povo brasileiro está a fazer também “de Portugal uma prioridade nacional”, o que “é muito importante”.

O Presidente da República referiu que a “fortíssima comunidade brasileira” em Portugal, “uma comunidade que galopa”, é composta por mais de 200 mil pessoas, “a caminho dos 250 mil em breve”, que “se entrosa tão bem” entre os “dez milhões de portugueses”.

“Chegam todos os dias, chegam todas as semanas, chegam todos os meses, e para todo o território português, não é só Lisboa ou Porto, são outras grandes cidades, Braga, Viseu, Aveiro, transversalmente atravessando a sociedade portuguesa, regiões autónomas dos Açores e da Madeira”, prosseguiu.

Marcelo Rebelo de Sousa observou que “isto é muito novo e muito diferente” e que “muitos se não dão conta” desta realidade.

Prefeito do Rio dá "boas-vindas calorosas" a Marcelo em nome "do educado povo brasileiro"

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, deu hoje "boas-vindas calorosas" ao Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, em nome "do educado povo brasileiro" e convidou-o a intensificar relações com a antiga capital do Brasil.

As palavras de Eduardo Paes contrastam com a intenção manifestada pelo Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, de cancelar o convite que tinha feito a Marcelo Rebelo de Sousa para um encontro seguido de almoço na segunda-feira em Brasília, por este se ir reunir com Lula da Silva em São Paulo no domingo.

"Presidente Marcelo, não resisto ao comentário: saiba, senhor, que a nossa alegria em recebê-lo no Rio de Janeiro, no Brasil, é tão grande que nós providenciámos esse lindo dia de inverno para receber vossa excelência", declarou o prefeito, numa Sessão comemorativa do centenário da travessia aérea do Atlântico Sul, no 1.º Distrito Naval, no centro da cidade do Rio de Janeiro.

Eduardo Paes convidou as autoridades locais portuguesas e o Presidente de Portugal "a intensificarem as suas relações com o Rio" por ocasião das comemorações dos 200 anos da independência do Brasil, que serão assinalados "com uma série de ações por toda a cidade".

"Temos 200 anos de história com Portugal, já construímos muito juntos. Com mais 200 anos pela frente vamos fazer mais ainda", acrescentou.

No fim da sua intervenção, o prefeito do Rio de Janeiro dirigiu-se a Marcelo Rebelo de Sousa para lhe dar "as boas-vindas calorosas do povo brasileiro, do educado povo brasileiro, que tanto admira o povo português, que tanta identidade tem com o povo português".

"O senhor é muito bem-vindo, não imagina quanto, a esse país. Recebemos o senhor de braços abertos. Bem-vindo ao Rio de Janeiro e muito bem-vindo ao Brasil", reforçou Eduardo Paes.

Marcelo Rebelo de Sousa iniciou hoje uma visita ao Brasil com passagens pelo Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, até segunda-feira.

Por enquanto, o chefe de Estado português tem afirmado que mantém "o mesmo programa que tinha em mente", dando a entender que o convite de Bolsonaro para um encontro em Brasília não foi formalmente retirado.

Em setembro, Marcelo Rebelo de Sousa tem previsto regressar ao Brasil para as celebrações oficiais dos 200 anos da independência em relação a Portugal.

As eleições presidenciais brasileiras, em que Jair Bolsonaro se recandidatará ao cargo e às quais o antigo Presidente do Brasil Lula da Silva também é candidato, estão marcadas 02 de outubro.

*Texto de Inês Escobar de Lima, enviada da agência Lusa

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.