“Temos de apoiar mais os nossos parceiros no controlo das fronteiras externas da União Europeia. Deixámo-los de lado demasiado tempo”, afirmou o ministro Horst Seehofer, no regresso de uma visita de trabalho à Grécia e à Turquia.

“Se não fizermos isso, assistiremos a uma onda de refugiados como a que aconteceu em 2015 ou ainda maior”, advertiu Seehofer, da conservadora União Social-Cristã (CSU), citado na edição de hoje do jornal Bild.

A Alemanha recebeu quase um milhão de refugiados em 2015, o seu recorde histórico, o que colocou o país perante um grande desafio logístico e provocou fortes tensões no bloco conservador da chanceler Angela Merkel, entre exigências da CSU para fechar as fronteiras, recorda a agência espanhola Efe.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados registou em setembro a chegada de 12.000 refugiados à Grécia da Turquia, o número mais alto desde março de 2016.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.