Peña Nieto disse que "diante da evidente dificuldade de materializar o acordo de Parceria Transpacífico  (TPP), o México iniciará as negociações imediatamente" para conseguir acordos bilaterais com os outros países participantes, depois de Trump ordenar a saída dos Estados Unidos dessa parceria.

Donald Trump assinou hoje um memorando de saída dos EUA do TPP, acordo comercial estabelecido entre países da região Ásia-Pacífico. Assinado pelo seu antecessor, Barack Obama, de forma a criar a maior área de comércio livre do mundo, o tratado foi concebido com o objetivo de servir de contrapeso à influência crescente da China. Foi assinado em 2015 por 12 países da região Ásia-Pacífico (EUA, Japão, Malásia, Vietname, Singapura, Brunei, Austrália, Nova Zelândia, Canadá, México, Chile e Peru são as nações participantes, que representam 40% da economia mundial), mas não entrou em vigor.

Durante a campanha eleitoral, Trump classificou o acordo de "terrível" para os trabalhadores americanos.

"Temos falado muito disso durante muito tempo", disse Trump enquanto assinava a ordem executiva no Sala Oval da Casa Branca. "O que acabámos de fazer é uma grande coisa para os trabalhadores americanos", acrescentou.

A administração Obama considerava o TPP como o melhor tratado possível, uma vez que inclui não só a eliminação de barreiras comerciais, como também normas sobre legislação laboral, ambiente, propriedade intelectual e compras estatais.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.