Em comunicado, a GNR esclarece que a mulher, de 42 anos, foi identificada pela prática do crime contra a genuinidade, qualidade ou composição de géneros alimentícios, durante uma ação que decorreu no passado sábado.

"No âmbito de uma denúncia relativa à venda de pescado impróprio para consumo no mercado daquela localidade, os militares deslocaram-se ao local tendo verificado a existência de pescado com sinais visíveis de putrefação e junto com produtos hortícolas em decomposição, numa banca para venda ao público", refere a mesma nota.

No decorrer da fiscalização, ainda segundo a GNR, foi possível apurar que a comerciante não dispunha de qualquer identificação de informação ao consumidor, nem qualquer documento que garantisse a rastreabilidade do pescado, e que ainda detinha pescado numa viatura, e numa câmara de refrigeração, nas mesmas circunstâncias.

Após inspeção higiossanitária efetuada pela Veterinária Municipal, o pescado foi dado como impróprio para consumo humano e os factos foram remetidos ao Tribunal de Aveiro.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.