Aquela que foi classificada pelo presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, como “a maior operação sanitária de sempre” realizada no concelho, começou na sexta-feira às 20:25 e mobilizou cerca de 50 operacionais e 25 viaturas.

Os 53 utentes foram transferidos para o Trofa Saúde Hospital, localizado em Vila Real, tratando-se de pessoas infetadas mas assintomáticas. Nesta instituição foram confirmadas 88 pessoas, entre residentes e colaboradores, com a covid-19.

As duas primeiras ambulâncias que transportavam os idosos saíram do lar pelas 21:15, escoltadas por motos da polícia. A operação foi dada como concluída às 05:00.

Segundo a autarquia, a morosidade deste transporte deveu-se “essencialmente à necessidade de assegurar todas as condições de higiene e segurança, quer para os bombeiros que fizeram o transporte, quer para os idosos transportados”, já que os 53 utentes transferidos testaram positivamente para a covid-19.

No total, de acordo com a fonte, foram mobilizados 50 operacionais e 25 viaturas, entre bombeiros, PSP, Cruz Vermelha Portuguesa, Exército e Proteção Civil.

Só dos bombeiros foram acionados 21 homens, 11 viaturas e dois carros de comando das duas corporações do concelho de Vila Real: Cruz Banca e Cruz Verde.

No domingo, foi detetado o primeiro utente com o novo coronavírus no Lar de Nossa Senhora das Dores, localizado no centro da cidade de Vila Real.

Na terça-feira conheceram-se mais 20 casos positivos e na, sexta-feira, foi divulgado que o número de infetados ascendeu aos 88 positivos, entre funcionários e utentes.

Depois de dias de impasse, concretizou-se na sexta-feira à noite a evacuação da instituição particular de solidariedade social.

“Este foi um processo complexo e inédito, que obrigou a algumas alterações de estratégia e adaptação ao longo de quatro dias. Ainda assim, a solução encontrada em articulação entre a autarquia, a Saúde e a Segurança Social, parece ser a mais acertada”, referiu a câmara.

O Trofa Saúde, em Vila Real, disse estar a “mobilizar todos os recursos técnicos e humanos, em parceria com o Serviço Nacional de Saúde (SNS), para se constituir como o primeiro hospital privado da região a receber doentes com covid-19″.

Os utentes terão um acompanhamento clínico por parte das equipas do Trofa Saúde, que serão apoiados por profissionais do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD).

No final da operação, o município agradeceu “a todos os que contribuíram para o desfecho desta situação”, nomeadamente bombeiros, Exército, Proteção Civil, Cruz Vermelha, PSP, enfermeiras voluntárias e trabalhadores da autarquia.

Dirigiu ainda uma palavra para as trabalhadoras do lar, a quem foi proposto na quinta-feira que regressassem às suas casas, mas optaram voluntariamente por permanecer até ao fim da operação.

Estas nove funcionárias vão, agora, para casa cumprir o isolamento profilático decretado pela delegada de saúde.

Depois da evacuação, o Exército vai proceder hoje à limpeza e desinfeção do lar, preparando-o para voltar a receber os residentes.

Devido à cadeia de contacto identificada no Lar de Nossa Senhora das Dores, a câmara acionou na terça-feira o plano de emergência municipal.

Portugal registou na sexta-feira 76 mortes associadas à covid-19, mais 16 do que na quinta-feira, e o número de infetados subiu para 4.268, segundo a Direção-Geral da Saúde.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.