“O combate às alterações climáticas já era antes da pandemia o principal desafio com que a humanidade se confrontava. Já era e não deixou de ser. E a pandemia, do ponto de vista estrutural, reforça essa mesma prioridade e veio mostrar-nos de forma ainda mais clara a importância desta agenda verde”, defendeu o chefe do executivo municipal.

Fernando Medina (PS) falava à agência Lusa na Fundação Calouste Gulbenkian, onde decorre hoje, durante todo o dia, a sessão de abertura da Semana Verde Europeia, que se estende até quinta-feira com diversos eventos ‘online’.

Salientando que “os impactos da pandemia foram mais severos em sítios e em locais em que os sistemas respiratórios das pessoas estavam mais fragilizados ou eram historicamente mais frágeis devido aos elevados índices de poluição”, o autarca defendeu a necessidade de “ter uma agenda verde mais forte, mais eficaz e executada de forma mais rápida”.

“Nós, humanos, hoje sabemos que não tivemos uma palavra a dizer sobre a forma como a pandemia nos invadiu o quotidiano, mas temos uma palavra muito importante a dizer sobre como é que coletivamente vamos sair deste período”, vincou.

O presidente da Câmara de Lisboa destacou também a importância de áreas como os transportes, habitação e espaços verdes, referindo que o seu executivo está a trabalhar “para atingir os objetivos em matéria de neutralidade carbónica”.

A Semana Verde Europeia, promovida anualmente pela União Europeia, é este ano organizada por Lisboa, a cidade distinguida com a galardão Capital Verde Europeia 2020.

Intervindo na sessão, a comissária Europeia para a Coesão e Reformas, Elisa Ferreira, realçou a determinação da União Europeia em “tornar a Europa o primeiro continente neutro em carbono em todo o mundo”.

Para a comissária, a transição verde tem de ser feita “sem deixar ninguém para trás” e de forma justa.

Elisa Ferreira sublinhou ainda que o lema da Semana Verde Europeia, “Um novo começo para as pessoas e a natureza”, é particularmente relevante, argumentando que “mesmo os mais pequenos gestos do dia-a-dia” dependem “de uma biodiversidade ecológica.

A sessão de abertura da Semana Verde Europeia contou ainda com os discursos do administrador da Fundação Calouste Gulbenkian, Carlos Moedas, do comissário Europeu para o Ambiente, Oceanos e Pescas, Virginijus Sinkevicius, e do ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Matos Fernandes.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.