O diploma contou com o voto a favor de 393 deputados dos três partidos de esquerda representados na câmara baixa do parlamento, os sociais-democratas, os ecologistas e a esquerda radical, além de um grupo de deputados da família conservadora de Merkel. Entre os conservadores, houve 226 votos contra. Há ainda a registas quatro abstenções.

A legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo acontece depois da chanceler alemã, Angela Merkel, libertar os seus deputados da disciplina de voto, instando-os a votar conforme a sua consciência sobre a matéria, escreve a Reuters.

Merkel, que procura a reeleição em setembro deste ano, disse à imprensa que votou contra a decisão, por acreditar que a definição de casamento à luz da lei alemã é entre um homem e uma mulher. A decisão foi pessoal, disse, acrescentando que nos anos recentes se convenceu que os casais do mesmo sexo deviam poder adoptar - algo que este diploma já permite.

"Espero que o voto de hoje não apenas promova o respeito entre diferentes opiniões, mas também maior coesão social e paz", disse.

A votação favorável ao casamento entre pessoas do mesmo sexo foi celebrada com confetes no Parlamento pelos Verdes.

A Alemanha junta-se assim aos 20 países ocidentais, 13 dos quais na Europa, que já legalizaram o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Berlim tinha adotado em 2001 a união civil com direitos equivalentes aos do casamento, exceto para certas vantagens fiscais e em matéria de adoção. A nova lei, que deve agora ser validada pela câmara alta do parlamento para entrar em vigor, vai permitir aos casais do mesmo sexo o direito de adoção.

(Notícia atualizada às 09h44)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.